Você já foi em um terreiro de Umbanda com certeza, mas você sabe o papel que cada um desempenha dentro da gira?

Pois bem, muitas pessoas também não fazem ideia disto! Justamente por isso estou escrevendo este artigo para trazer um pouco mais de luz a esse tema, que deveria ser pauta primária nas conversas entre médiuns e filhos, para que as coisas fiquem claras.

A gente aprende que na Umbanda todos somos iguais, porém a igualdade significa que todos somos destinados a felicidade suprema e que todos possuímos as mesmas capacitações como seres humanos. Contudo, em um aglomerado humano, sempre será necessário definir as prioridades e definir as lideranças, para que cada um desempenhe o melhor de si, dentro de suas funções.

Ter um cargo, seja ele por eleição ou por escolha superior, não lhe faz melhor do que os outros, mas apenas o coloca em uma posição clara para saber quais são seus direitos e, principalmente, seus deveres.

Dentro de uma casa de Umbanda a estrutura mais clássica é a composta de Pai ou Mãe Espiritual, que alguns também chamam de Pai e Mãe de Santo e posteriormente outros em comando, como o Pai Pequeno ou Mãe Pequena, Capitães, Vigias, Porteiros, Médiuns e Cambones.

Todos desempenham papéis fundamentais dentro da casa Umbandista e a mesma não sobrevive sem um deles.

Aqui vou abordar os cargos de forma mais objetiva em tópicos:

DIRIGENTE ESPIRITUAL

O dirigente espiritual é o cargo de maior hierarquia dentro da casa, no que tange o plano material. Contudo, seu poder é ainda menor que o do Chefe da Casa. O Chefe-da-Casa é a entidade espiritual responsável por todo aquele agrupamento que chamamos de terreiro, geralmente é o chefe-de-coroa do próprio dirigente espiritual.

O dirigente espiritual também é chamado de Pai ou Mãe Espiritual, Padrinho ou Madrinha, Pai ou Mãe de Santo, Babá e Iaiá, Babalorixá e Ialorixá, Zelador, etc.

A palavra do dirigente é a mais importante dentro do terreiro, pois ele é o porta-voz do chefe da casa. O dirigente é quem determina os dias de gira, quem conduz a gira, quem faz os rituais de confirmação, coroação, batizado, cruzamento, casamento e encomenda de alma.

A função do dirigente é muito maior do que apenas abrir a casa e abrir a gira, mas também de zelar por todos que fazem parte da corrente mediúnica e da assistência da casa.

Ele quem deverá ditar as regras e quem deverá cobrar o cumprimento das mesmas. Ser um dirigente espiritual não é uma questão de escolha, mas de missão. Todos os dirigentes de fato, devem passar por uma escolha da espiritualidade, que lhe encaminhará para esse sentido.

PAI E MÃE PEQUENOS

Também conhecido como Capitães, são os assistentes diretos dos dirigentes espirituais. São eles que são responsáveis pelo intermédio entre os médiuns e cambones para com os dirigentes. O Pai e Mãe pequenos são também escolhidos por missão e não por vontade e passam por alguns rituais distintos para serem preparados para se tornar futuros dirigentes.

Dentro de suas atribuições estão a abertura das giras em alguns casos, a condução de giras de desenvolvimento, a condução de algumas giras de esquerda e a manutenção da ordem na casa. Tem deveres diversos, direitos menores e deve manter a constância em sua condução, pois será tentado de todas as formas achando que tem mais poderes do que possui de fato.

Para se tornar Pai e Mãe Pequeno o médium deverá ser confirmado e coroado como tal. Não é o tempo de trabalho que define quem será um Pai ou Mãe Pequeno, mas a escolha da espiritualidade.

VIGIA E PORTEIRO

Pode ser ocupado por médiuns incorporantes (rodantes) ou não. São as pessoas responsáveis por cuidar da assistência e encaminhar os consulentes para os atendimentos. Geralmente é um cargo de extrema responsabilidade e que só será dado a pessoas que tenham firmeza.

MÉDIUNS

Aqui podemos encontrar outros termos como médiuns de incorporação ou rodantes, para definir essa função dentro do terreiro. Nesta categoria temos todos os trabalhadores da casa que possuem algum grau de mediunidade e que trabalham por meio de passes e consultas.

Médiuns novatos geralmente passam por um período de adaptação a energia das entidades e não são liberados a darem consultas, sendo restritos a incorporar seu mentor e depois a dar pequenos passes. Com o passar do tempo há a liberação para consulta e em um ritual chamado de Confirmação há a possibilidade de confirmar a coroa desse médium, dizendo que ele está realmente trabalhando mediunicamente sem interferências significativas.

Nem todo médium que dá atendimento ou consulta está confirmado, por isso é importante se atentar a esse fator sempre, quando estiver sendo o condutor de uma gira. Porém, as entidades espirituais não precisam dos médiuns para fazer os atendimentos, estão sempre ouvindo as necessidades e ajudando conforme o merecimento de cada um.

CAMBONES

São os assistentes, os fiscais e aqueles que são a cara de empatia para com a assistência. Sobre os cambones temos um artigo só falando deles. Leia mais em Cambone: O Fiscal do terreiro.

Também temos um vídeo sobre: Pensamentos 22 – Cambone: Quem é você?.


Saiba mais sobre o mesmo assunto nos artigos abaixo: