Muitas pessoas tem me perguntado sobre formas de melhorar sua conexão mediúnica ou até mesmo como permitir melhor que as energias se manifestem ou que a sensibilidade seja mais “forte”.

Atentem-se para o fato de que todos pedem fórmulas para conseguir trabalhar com algo tão individual quanto é a mediunidade. Antes de mais nada é preciso deixar claro que mediunidade é algo tão pessoal, que mesmo dois médiuns clarividentes verão coisas diferentes e suas manifestações também serão distintas.

Mas, claro, tudo tem jeito nessa vida e uma das formas de facilitar essa questão da sensibilidade é por meio de práticas meditativas e contemplativas.

Meditação ao contrário do que muitos pensam não é simplesmente não pensar em nada, mas permitir que sua mente se esvazie da mesma forma que ela é preenchida. Uma analogia a isto é que sua mente é como um rio, a água deve fluir, ou seja, os pensamentos devem fluir, mas nunca se deter.

Você pode pensar na coxinha do almoço, na roupa que irá usar com o date, mas tem que se livrar desse pensamento da forma mais rápida possível, até que isso se torne tão fluído e natural que você sentirá como se não estivesse pensando nada e isso lhe dará a sensação de esvaziamento mental.

Existem diversas técnicas meditativas a serem praticadas, algumas com uso de exercícios de respiração, outras com uso do corpo e afins. O mindfullness tá em moda né?

Contudo, eu não vou ensinar uma técnica, pois cada um acaba trabalhando de forma diferente com a meditação e o ideal é você procurar técnicas e testar todas para achar a sua forma adequada.

Mas e a contemplação, o que seria? Contemplação é uma outra técnica de aprimoramento da sensibilidade mental e energética (espiritual) que consiste em observar algo e a partir desse momento permitir que a mente voe em direções inimagináveis. Isto é o que ocorre exatamente antes do processo de incorporação ou de outras técnicas mediúnicas em que o transe tem uma importância maior.

Podemos contemplar uma imagem para absorver suas atribuições, como por exemplo um santo ou divindade hindu, trazendo aquilo para nosso íntimo ou podemos simplesmente observar um objeto ou um gráfico. Contemplação também é um exercício a ser feito antes de práticas mágicas.

A contemplação em sua vida

Para começar as atividades, vamos contemplar algo. Contemplar é observar algo e depois absorver deste algo ensinamentos e impressões, que não passarão pela mente racional e consciente. Você irá olhar para um símbolo, objeto ou pessoa e irá por meio da contemplação absorver para o seu campo astral e energético as suas representações e atributos. É mais do que simplesmente olhar e reparar se uma estátua tem uma mão, se tem um rato no seu pé ou se ela está comendo bolinhos.

Contemplar é abrir-se para o Universo e se tornar uno com o inconsciente coletivo em busca dos símbolos e dos poderes que eles representam. Vamos começar com uma atividade, que deverá ser repetida sempre quando possível, até se atingir o nível desejado.

Sente-se confortavelmente diante de uma parede branca e imagine um ponto preto na parede, olhe para esse ponto imaginário e marque em um cronômetro quanto tempo você consegue ficar sem piscar. Repita esse exercício, para ir aumentando o espaço de tempo entre um piscar e outro. Agora vou deixar outros exercícios para serem praticados.

Exercício de contemplação – A uva passa.

                Pegue duas uvas passas, coloque a primeira na boca e mastigue. Anote as impressões que você teve, sem se deter muito na observação. Agora pegue a segunda uva passa e olhe primeiro para ela, role-a entre seus dedos e com seu tato sinta sua textura, cheire-a, tente lembrar-se de seu sabor, olhe firmemente para a mesma, coloque-a na boca, não mastigue. Role-a sobre e sob sua língua, sinta sua textura, gosto e seu aroma. Agora mastigue-a devagar, não engula. Só engula quando ela estiver pronta, agora anote tudo que você sentiu e percebeu na uva passa. Compare os resultados. Essa é uma contemplação.

Exercício de contemplação – A VELA E A ÁGUA.

                Pegue um copo de água grande, não precisa ser mineral ou de fonte. Coloque uma vela branca acessa por detrás do copo, agora apague todas as luzes e tente observar a chama da vela através do copo, tente limpar os pensamentos e se concentrar apenas na chama da vela, sinta o ambiente, contemple-a e anote os resultados. Se surgirem símbolos, palavras, conversas, etc, deixe que todos passem pela sua mente sem reter o pensamento. O ideal é fazer esse exercício por 30 minutos, mas você pode começar com apenas 5 minutos. Apague a chama da vela e a use para exercícios futuros, até que chegue nos 30 minutos.