Todo dia temos que explicar o óbvio cada vez mais. Desde a avalanche de desinformação promulga pela NeoUmbanda, está cada vez mais difícil achar mentes que são inquietas em busca de perguntas e não de respostas!

Já dizia o caboclo Rompe-Mato: “Se uma resposta não te levar ao menos a novas duas perguntas, a resposta está errada!”. 

Até quando a gente tem que explicar minuciosamente como se falando com crianças em época pré-alfabetização sobre coisas óbvias de Umbanda, Quimbanda e Magia?

Curiosamente ninguém questiona os NeoUmbanda de suas fontes, simplesmente aceitam como revelação sagrada de um mestre invisível e um mestre encarnado (hoje morto) que veio trazer a PAZ MUNDIAL (mas só fomentou o sectarismo e o afastamento da religião de sua natureza que era o povo simples, pobre, necessitado, etc).

Aceitam uma realidade tão fantasiosa que qualquer pessoa que apresenta uma visão baseada em experiência, fatos e por amostragem é questionada como “impostora” ou “invejosa”.

Tradição, como já repeti inúmeras vezes, é o conjunto de práticas e saberes passados conforme as gerações que foram experimentados a exaustão e configuram uma “verdade”.

Por meio da tradição permanece o que funciona e abandona-se o que não funciona. A tradição também implica em conhecimentos empíricos (procure no dicionário) e da observação da natureza dos fenômenos.

Assim nasceu o Espiritismo, assim nasceu a Umbanda, assim nasce o Candomblé e assim nascem todas as religiões do mundo.

Obviamente que novos Messias aparecem a todo momento tentando os holofotes e muitos deles midiáticos que são conseguem se aproveitar do marketing e da pouca capacidade intelectual discernitiva dos seus alvos para expandir a doutrina da desinformação.

Não estou chamando ninguém de burro, apenas estou dizendo que não somos ensinados a questionar. Infelizmente procuramos heróis que querem defender nosso ponto de vista e nosso status quo e tudo que foge dele é visto com desconfiança.

É mais fácil colocar a minha vida nas mãos de terceiros do que ter que encarar a realidade de que tudo acontece por minha culpa e só eu posso resolver.

É mais fácil aceitar que um homem recebeu uma revelação divina do que crer que isso foi uma invenção midiática e mercadológica para vender livros, cursos e fascinar diversas pessoas, escravizando mentes e almas em doutrinas que não fazem o menor sentido quando abordadas coerentemente.

A doutrina do “TUDO PODE” quer dar a falsa impressão de que tudo é igual e que as culturas convergem, o que não é bem assim. O entendimento humano é muito ímpar e por mais que queiramos uma “Teoria do Tudo”, não há possibilidade pois cada ser humano é um Universo em si mesmo.

Abandone a falsa esperança e segurança dessas doutrinas que dizem que trazem as verdades e explicam tudo, pois NADA explica tudo. A gente está imerso no Caos tentando fomentar Ordem e isso é apenas uma ilusão.

Afinal, não existe ordem sem o caos, não existe caos sem ordem. A Entropia precede o progresso.