Oxum é uma das Orixás mais queridas dentro da Umbanda brasileira. De certa forma ela muito se confunde com a própria linha das águas, sendo constantemente misturada a outras entidades e deidades aquáticas como a própria Iemanjá.

Sincretizada geralmente como Nossa Senhora da Conceição, acaba se misturando também com outras aparições da Virgem Santíssima, como a padroeira brasileira Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

 

Nossa Senhora da Conceição

Nossa Senhora da Conceição também é chamada de Imaculada Conceição e representa o dogma católico em que é dito que a jovem Maria concebeu o filho de Deus (Jesus) de forma imaculada, ou seja, sem passar por um ato sexual, permanecendo assim virgem.

Apesar de haver diferenças e divergências entre o cânone católico e algumas heresias, muitos aceitam que a Santa Maria permaneceu virgem durante toda sua existência. Eu contraponho essa informação quando sabemos pelos textos sagrados que a mesma teve outros filhos, provavelmente de José, seu marido.

Até mesmo a concepção imaculada é uma questão mais de argumento e simbolismo do que de fato algo real, visto que uma das doutrinas cristãs para cumprir as profecias da vinda do Messias, dizia que ele seria descendente de Davi. Contudo Maria não era descendente direta de Davi, se houve a imaculada concepção a própria realeza de Cristo poderia ser contestada, contudo José era descendente de Davi, segundo alguns teóricos e estudiosos. Desta forma para ser realmente reconhecido como messias ele deveria ser filho de sangue de José de Nazaré.

Porém a visão desta santa é mais para um DOGMA do que para uma ENTIDADE, em outras palavras, Nossa Senhora da Conceição é mais uma ideia do que realmente uma APARIÇÃO, como as demais visagens da Virgem de Nazaré.

Como podemos perceber em sua iconografia, encontramos a cor Azul em um tom mais fechado em seu manto, não encontrando amarelo em suas vestes a não ser pequenos adornos dourados.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida

Também chamada na Umbanda de Nossa Senhora Aparecida da Conceição é considerada a padroeira do Brasil. A história se perfaz por meio de um milagre onde pescadores de Garatinguetá encontraram primeiramente o corpo e após isso a cabeça da imagem feita em terracota na foz de um rio, surgindo daí o termo APARECIDA.

Sendo que a partir desse achado e do seu culto, os peixes que antes eram escassos passaram a encher as redes dos pescadores. Seja como for a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida é imensamente venerada tendo uma das maiores catedrais do mundo para o culto mariano desta santa.

Justamente pelo escurecimento da terracota por estar depositada num rio e posteriormente pela fuligem das velas acesas em seu culto, muitos a consideram uma santa negra. Desta forma ela é muito associada a pretos-velhos e pretas-velhas e também ao povo boiadeiro.

Como vendo em sua imagem ela tem um manto azulado mais escuro do que na Imagem de Nossa Senhora da Conceição e apenas o dourado dos detalhes e da coroa, ambos (manto e coroa) não faziam parte da imagem original encontrada no rio.

Não há nada de místico em sua confecção, sendo atribuída ao Frei Agostinho de Jesus, um monge paulistano. Da mesma forma que hoje descartamos imagens (de forma antiecológica diga-se de passagem) quebradas em águas correntes, o mesmo foi feito com esta imagem.

O grande milagre está em achar as duas partes que se encaixavam perfeitamente e nos milagres que ocorreram posteriormente. Desta forma também percebemos que a aparição da Virgem é bem diferença das conhecidas como a aparição de Lourdes ou Guadalupe.

Mas de onde vêm o uso do Amarelo para cultuar Oxum sendo que no sincretismo não há amarelo?

Justamente vem da representação africana da divindade Oxum (Osun). Essa Orixá é sincretizada com bem mais santas católicas, como Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora dos Prazeres, Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora das Dores, etc. Em nenhuma vemos o amarelo presente.

Mas na iconografia clássica de Oxum vemos o amarelo, como demonstra a imagem a seguir.

Sendo considerada uma Orixá das águas doces, também acaba acumulando os domínios das riquezas, da beleza e da fertilidade. De certa forma o ouro encontrado nos leitos dos rios, acabaram por associar tal mineral a formosa Orixá.

Oxum ainda é caracterizada pela face jovem na trindade feminina, ou seja a Lua Crescente. Anda com um espelho dourado finamente decorado, onde reflete sua beleza. Sendo que as águas foram durante muito tempo consideradas um espelho por si só.

Cultuada originalmente no rio que leva seu nome Osun, um rio que corta as terras da Nigéria.

Nas terras africanas ainda temos as características de Oxum ou qualidades, que se diferenciam entre si tanto nas cores, quantos nos adornos e também na forma de se apresentar, sendo elas:

  • Agba Ilu: Usa azul claro.
  • Ajimu: Azul Claro ou Rosa.
  • Apará: Cor de Rosa
  • Oloko: Amarelo-Ouro
  • Ypondá: Amarelo-Ouro
  • Iya Omi
  • Abalô
  • Oxogbô
  • Ojagura
  • Oga
  • Karê
  • Oke
  • Loku
  • Entre outras.

Desta forma conforme a qualidade em que Oxum vem, ela pode alternar as cores, sendo as mais comuns o Azul Claro, o Rosa e o Amarelo Ouro.

As cores de Oxum

De certa forma as qualidades não fazem muito sentido dentro do culto de Umbanda, visto que entendemos as qualidades como entrecruzamento de forças do setenário primário e sagrado, dos domínios primordiais.

Só que de certa forma podemos entender que as cores mais usadas nas velas, magias e oferendas pra Oxum carregam justamente: Amarelo-ouro, Rosa e Azul. Sendo que o Azul pode variar de Azul claro a Azul escuro.

Dentro da minha concepção da Umbanda e de sua magia e conforme a minha tradição, acabo utilizando as velas das três cores para propósitos específicos:

  • Amarelo-Ouro: Quando estou lidando com os campos materiais, prosperidade e riqueza de Oxum.
  • Rosa: Quando estou lidando com processos emocionais ligados a Oxum.
  • Azul Escuro: Quando estou lidado com questões de proteção e elevação espiritual por meio da energia de Oxum.

Dou preferência pelo Azul Escuro pela associação com o Manto de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, que é o sincretismo mais direto para mim de Oxum, deixando assim o Azul Claro para a associação com Iemanjá e Nossa Senhora dos Navegantes, por lembrar as águas claras do mar.

Conclusão:

Oxum em sua versão original da África pode usar cores variadas conforme as suas qualidades, sendo que o amarelo-ouro é a cor mais conhecida nos muitos aspectos. Na Umbanda podemos usar cores variadas, conforme a utilidade. Visto que a Umbanda é sincrética, associar a cor dos santos correspondentes aos Orixás é totalmente normal e permitido.

Curiosidades

Em Cuba Oxum é associada a Nossa Senhora da Caridade do Cobre. No vodú haitiano é conhecida como Erzile ou Erzulie.