Tenho quase absoluta certeza de que você já se perguntou sobre isso alguma vez ou ao menos alguém perguntou para você se tatuagem pode vir a dar algum tipo de problema energético ou espiritual, estou enganado?

A tatuagem é uma técnica milenar, que pode ser encontrada em diversas culturas ao redor do globo. Geralmente com significados religiosos ou culturais, a princípio, acabou se tornando uma espécie de adorno do corpo no ocidente. É muito comum hoje ver pessoas com ao menos uma tatuagem.

A tatuagem perdeu alguns estigmas que possuía, como “coisa de bandido”, “violação do corpo” e outros, passando a ser vista como uma arte.

De fato, a tatuagem que é feita hoje é muito distante das tatuagens feitas pelos Maoris, tido como um dos primeiros povos a possuir tatuagens pelo corpo. Hoje possuímos pigmentos mais seguros e uma aplicação menos dolorosa e mais rápida por meio da caneta elétrica do tatuador.

Mas quando vamos para os campos religiosos, sabemos que alguns “narizes ainda se torcem” quando o assunto são pessoas tatuadas. Tirando todo preconceito no discurso destas pessoas, podemos dizer que em partes elas tem razão em algumas coisas. Tatuagens podem influenciar no campo espiritual de uma pessoa.

Para entender isso, precisamos também compreender que símbolos possuem poderes embutidos em sua “grafia”. Vejamos os exemplos dos símbolos do Reiki, que carregam todo um poder em si só, ou os gráficos radiestésicos e radiônicos e ainda os pontos riscados das entidades e os sigilos de demônios da Goécia? Todos eles carregam simbolismos, que por sua vez carregam “poderes” definidos.

Nos tempos atuais não precisamos de algo escrito para nos lembrar que o farol vermelho significa PARE e o farol verde significa SIGA. Isso ficou embutido em nossa mente e por isso mesmo, torna-se quase que automática essa associação. O mesmo se dá com os símbolos!

Além disto, podemos considerar que o corpo humano é composto de diversos centros de força que são também impressionados por cores e por símbolos, visto que cada um desses centros de força possuem representações gráficas chamadas Yantras. Desta forma, imagina só você tatuar um símbolo em cima de um desses centros de força com uma cor antagônica a frequência de cor que ele possuí e também com um símbolo que pode ser “bloqueador” ou “exacerbador”?

Já tive contato com diversos casos em que houve uma certa “interferência” energética devido a símbolos colocados em locais que não eram propícios e até mesmo de mistura de símbolos “religiosos” que acabaram gerando problemas na vida das pessoas. Dentre esses casos o de uma moça, tatuando um símbolo do Om ॐ dentro de um Hexagrama ✡ em seu punho.

Antes mesmo dela saber que poderia dar um conflito energético, ela começou a perceber problemas na sua vida, de diversos tipos. A saúde foi afetada, a energia diminuiu, ela sempre se sentia cansada, como se tudo estivesse em guerra. Quando eu percebi o símbolo eu sugeri a ela, sem dizer mais nada profundo, que ela alterasse o hexagrama para um sol com estilo indiano. Ela então tapou o hexagrama com esse sol e a vida dela melhorou e muito.

Outro caso que tive, que não tem muito a ver com a simbologia mas com o local e a cor utilizada foi de um rapaz que já tinha diversas tatuagens pelo corpo, geralmente nos braços e nas pernas. Ele tinha vontade de tatuar uma cigana com aspecto meio zumbi, com a face completamente verde em todo seu tórax. Esse rapaz era uma pessoa muito solicita, de bom trato, extremamente agradável e divertido, após tatuar essa cigana bem em cima do chakra Anahata, pudemos começar a perceber uma mudança em seu comportamento.

O Chakra Anahata é um chakra que fica bem na região do coração, por vezes chamado de chakra cardíaco é o responsável por fazer o equilíbrio entre o que é visceral/denso e o que é espiritual/sutil. Também é o chakra que gerencia as emoções e o estado de ânimo do indivíduo e está intrinsecamente ligado com aspectos da nossa defesa orgânica. Uma de suas particularidades é que, apesar dos demais chakras responderem a diversas cores, só o anahata traz nas literaturas o apontamento do uso de duas cores, para se equilibrarem as energias desse centro de força.

As cores verde e rosa acabam então, sendo apontadas como as cores deste chakra, sendo que o verde traz uma centralização maior para as nossas emoções e o rosa traz uma sensibilidade maior. Desta forma, para corações muito endurecidos, que não sentem nada, usa-se em cromoterapia (e outras técnicas naturopáticas) a cor Rosa nesta região, para que a pessoa se sensibilize. De forma contrária, o verde é utilizado quando a pessoa não tem controle nenhum das suas emoções ou está precisando de autofoco.

Porém, no exagero da exposição de ambas as cores (que de fato correspondem a frequências vibratórias) acabamos por superalimentar a região, causando excessos e problemas. No caso exposto, a cor verde estava literalmente marcada na pele por 24 horas, SEMPRE! Isso fez com que ele se tornasse mais obtuso e egocêntrico, deixando até mesmo de ter trato e polidez com as pessoas ao seu entorno.

Desta forma pede-se para evitar tatuagens que fiquem muito próximo aos centros de forças primários, ou como são conhecidos, os sete chakras. Assim como evitar tatuagens nos dedos, nos punhos, na face, nas costas e em locais onde são mais presentes os canais de energia do corpo. Além disso, pede-se para fazer uma pequisa mais profunda para compreender sobre o simbolismo dos signos que estão sendo impressos na sua pele.

Existe uma moda de desenhar os pontos riscados das entidades no corpo, se esquecendo completamente sobre o que estão tratando. Os pontos-riscados são portais para magias das entidades de Umbanda. O seu traço, por si só já traz toda uma energia e um propósito, porém eles são dinamizados através da alimentação por meio de velas, ervas, fumos, bebidas e outros.

O que fazemos neste caso é dar energia para o ponto riscado ter como trabalhar. Quando você tatua um ponto-riscado no corpo, você está alimentando esse ponto com a sua própria energia vital, lembrando que tatuagem é quase um “trabalho de sangue”, pois há sangue envolvido no processo.

Um monte de gente tem tatuado símbolos de direita e de esquerda e alguns até fora de suas egrégoras, tentando ressignificar isso para ser visto como algo pertencente a Umbanda, como é o caso do Vegvísir, Aegishjalmur e Veiðistafur que são pertencentes a cultura nórdica-escandinávica e que alguns umbandistas tentam associar a Exu e as forças de esquerda, o que não faz sentido algum.

Ainda dentro da questão de “magia de sangue” que podemos usar na tatuagem, tive contato com um caso em que um grupo de três amigas, fizeram a mesma tatuagem como um simbolismo da “ligação” delas e de sua amizade. Desta forma, queremos atribuir um contato eterno e a distância, marcado em nosso próprio corpo e alimentado pelo nosso sangue, desta relação.

Claro que isso pode vir a dar problemas, é como “amarrar” essas três pessoas em uma só egrégora, sacralizando isto com um símbolo da egrégora, uma marca iniciática. Já imaginou o problema que dará caso haja uma briga ou desavença e que você precise se afastar da pessoa? O símbolo, com seu poder, fará de tudo para puxar de novo para perto a pessoa “briguenta”, o que pode virar realmente uma situação muito incomoda para todos.

Como dito no caso da moça do símbolo do Om e do hexagrama, tudo dá para ser remediado, neste caso uma leve alteração da tatuagem, quebra o elo entre elas e pode vir a dar a liberdade que é almejada.

Compreenderam que tatuagem não é algo simples de ser feito? Tem de haver uma motivação maior que a estética, ainda mais quando há o componente místico, simbólico e espiritual daquele que terá uma tatuagem em seu corpo.

Não achem que sou crítico a tatuagem não. Gosto de tatuagens e até mesmo tenho tatuagem no corpo, porém a fiz depois de longa meditação sobre o assunto, pois sabia que após aqueles símbolos gravados no meu corpo, eu estaria para sempre envolvido com aquela energia. Neste caso foi um ideograma com a palavra “Conhecimento”.

Faça sua tatuagem, mas não se deixe levar pelo ímpeto. Use sua ponderação e pesquise sobre o local que fará a tatuagem, as cores envolvidas e o significado dos símbolos. Assim, você terá mais segurança energética e espiritual.


Ouça o Papo na Encruza sobre Chakras e Sistema Energético Sutil


Créditos da Image: Papel foto criado por freepik – br.freepik.com