“Seu Tranca Ruas me cobre com sua capa,
Sua capa é um manto de caridade
Sua capa cobre tudo
Só não cobre a falsidade!”

O Exu Tranca Ruas é um dos mais conhecidos exus de Umbanda e de Quimbanda. De certa forma o termo Tranca Ruas acabou se tornou sinônimo de Exu. Mas de onde vem essa preferência das pessoas por esse falangeiro?

Esse entendimento deve ser pautado em muito bom senso, lembrando que apesar de ser chamado de chefe da Quimbanda, o Exu Tranca Ruas é na realidade um falangeiro do Reino de Malê, submisso ao regente desse Reino ou Falange, que é Seu Exu Rei das 7 Encruzilhadas.

O Exu Tranca ruas ganha notoriedade pelo seu campo de atuação que é de abrir e fechar os caminhos. Além disto alguns Exus que são fundamentais para o trabalho de uma gira de Umbanda estão sob domínio dele, como é o caso dos Exus das Porteiras ou os 7 Porteiras.

Sob o comando de Tranca Ruas eles guardam as entradas dos terreiros nos trabalhos. Tranca Ruas por ter essa ascensão sobre os caminhos acaba sendo um dos grandes regentes das encruzilhadas, sabendo quem passa por lá, quem fica e quem se vai.

De certa forma, tudo passa pelo seu Tranca-Ruas!

Para alguns chefes de Umbanda, inclusive para mim, Tranca-Ruas das Almas (um dos entrecruzamentos de Tranca-Ruas) é o responsável maior pela gira de Umbanda acontecer, liberando os Eguns para os tratamentos e permitindo a triagem de quem vai e quem fica. Também é o grande responsável pela Esquerda num terreiro e deve ser fundamentado sempre em uma tronqueira como seu regente.

Tranca-Ruas puramente é um Exu com grande influência dos domínios de Ogum, como passagem, estradas e movimento. Quando ele entrecruza com outras forças ganha mais domínios agregados como no caso das Almas, tendo domínios nos campos dos mortos e dos vagantes; no caso de Embaré que tem uma significância de “Águas que curam”, com grande respaldo no campo de cura emocional e física; Tranca-Ruas das 7 Encruzilhadas, responsável pela condução dos espíritos de um campo ao outro em diversos níveis e dimensões e assim por diante.

De certa forma por ter grande influência dos domínios de Ogum, acaba atuando bastante nos campos de Lei e Ordem. Por isso que chamam Tranca-Ruas de “Advogado”, pois ele acaba intercedendo por aqueles que lhe prestam reverência.

Alguns dirigentes das antigas ainda consideram Tranca-Ruas como o grande guardião das portas do Umbral, sendo seu regente no lado de dentro do Umbral e respeitando as ordens de São Miguel Arcanjo. Essa é uma simbologia da sua reverência as forças da Lei, sendo que São Miguel é por muitas vezes sincretizado com Ogum.

Tranca-Ruas é uma figura carismática, geralmente vestindo uma capa e vestes de aspecto espanhol. Costuma ter o rosto coberto por uma barba bem aparada e anda sempre com sua bengala. Trabalha com as cores preta e vermelha, aceitando velas bicolores nessas tonalidades. Tranca-Ruas recebe o famoso marafo e charuto de boa qualidade, feito de folha de fumo – não de fumo picado.

Alguns Tranca-Ruas gostam de Whisky padrão Tennessee, outros preferem a marafada branca sem adoçamento. Contudo, seu Tranca-Ruas das Almas prefere cachaça envelhecida, as famosas cachaças amarelas.

Seu padê é composto de Cebola-Roxa, Farinha de Milho Amarela, Dendê e Pimenta Dedo de Moça. Pode-se acrescentar um bife passado no dendê e levemente frito ou carne-seca desfiada.

Exuê Seu Tranca-Ruas! Laroyê Exu!

“O Sino da Igrejinha faz belém, blém, bom
Deu meia-noite e o galo já cantou,
Seu Tranca-Ruas é o dono da Gira,
Ô corre gira que Ogum mandou!”