Você não precisa ser bonito, famoso, rico ou ter títulos acadêmicos.
 
Na Umbanda todos têm vez! Justamente esse é a grande atratividade desta religião singela e de cunho popular.
 
A Umbanda apregoa que a essência vem a frente da aparência e que o espiritual é mais valioso que o material.
 
Justamente isso que muitos estão se esquecendo. A começar dos grandes sacertubes com seus mais de 100 mil seguidores, até mesmo nós wannabes que se vestem com a capa da arrogância e ignorância.
 
Há uma diferença em ser irônico, ácido e sarcástico daqueles que são ignorantes, arrogantes, prepotentes e mal-educados.
 
Quando nos propomos a fazer Umbanda sabemos que as pedradas virão. A gente acaba por usar do nosso jeito do dia-a-dia para ser acessível a todos e creio eu que é isso que gera identificação com os ouvintes e leitores.
 
Não somos grandes, nunca pleiteamos ser. Somos formiguinhas ousadas que tentam democratizar o acesso ao conhecimento sem pré-requisitos e frescuras.
 
Infelizmente existem pessoas que tentam nós atacar cruelmente, invalidando nossa qualidade, nosso conteúdo e nossa presteza em servir.
 
Nós somos pessoas normais, com trabalhos regulares e pagadores de boleto que não vivem de Umbanda ou do conteúdo aqui gerado.
 
Tudo que fazemos é doar nosso tempo livre, que poderíamos gastas com nossa família e outros afazeres para compartilhar a Umbanda.
 
A nossa família entende e apoia essa decisão, pois também sabem a importância de dar acesso a religião que algumas pessoas querem elitizar.
 
Então, esse é mais um desabafo depois de um ataque covarde que sofremos onde queriam ganhar fama a nossas custas.
 
Essas pessoas não entendem que ao tentarem invalidar nosso trabalho que já é sólido e aceito pelo público, não vão fazer com o que o trabalho deles que carece de conteúdo se sobressaia. Apenas irão demonstrar como são imbecis e carentes de atenção.
 
Saravá a Umbanda, Saravá o Papo na Encruza, Saravá aos membros e ouvintes, Saravá a Zambi, pois Zambi é o Maior.