Sempre que tratamos do assunto sobre técnicas de imposição de mãos, a galera costuma juntar tudo em um só balaio como se fosse uma só ferramenta ou técnica. Deixam de lado várias possibilidades, por não compreender em partes, mas muito mais por não querer sair fora da ilusão do “universalismo de práticas religiosas e energéticas”.

O mundo é muito mais diversificado do que imaginamos, para isso eu sugiro uma lida em nosso artigo sobre Egrégoras, para ter uma melhor compreensão de como as coisas se processam.

Mas o que vem a ser a técnica ou técnicas de imposição de mãos? Basicamente é um meio pelo qual através da postura das mãos, tocando ou não, em um indivíduo, conseguimos transmitir-lhe energias e eflúvios benéficos, para que lhe seja reequilibrado o sistema energético e traga-lhe a homeostase¹ espiritual/energética.

Então basicamente Passes Espíritas, Passes Magnéticos, Reiki, Johrei e outras técnicas de imposição de mãos deveria ter a mesma função, certo? Mas não é bem assim… Apesar de possuírem, aparentemente, um efeito similar, seus processos são bem distintos e vamos tratar disto nesse texto.

Reiki

1000px-Reiki-2.svgO Reiki é uma técnica de harmonização através da imposição de mãos que preza por recompor as energias perdidas ou em desequilíbrio para seu estado natural e vitalizador. É uma das técnicas que compõe a naturopatia e existem diversos sistemas diferentes de aplicação, porém o mais popular e tradicional é o sistema Usui.

Criado pelo monge budista Mikao Usui, no Japão, no ano de 1922. Através da imposição de mãos, os terapeutas ou reikianos – como também são conhecidos – servem de canal condutor para a Energia Vital Universal, assim podendo direcioná-la para quem precisar, restabelecendo a harmonia e o equilíbrio energético do ser vivo. Pode ser aplicado em humanos, em plantas, em animais e até mesmo na comida.

Traz um profundo restabelecimento energético nos campos emocionais, físicos e também espirituais.  Existem duas formas mais comuns de praticar o Reiki estilo Usui:

  • na sua versão tradicional através da intuição e da observação, não tendo tempo determinado e nem pontos determinados para a aplicação da energia.
  • na versão ocidental, onde existem posições e tempos pré-definidos para a aplicação da energia.

Ambas formas possuem um curso iniciatório (para sintonizar) dividido em três níveis e por fim um curso para mestres iniciadores. No Reiki nível I, o postulante a reikiano irá aprender a canalizar a energia Reiki assim como administrá-la de forma sutil. Nesse primeiro nível é feita a iniciação (sintonização) para se conectar a fonte da energia vital universal.

No nível II, o novo reikiano é apresentado aos símbolos: CKR e SHK. Aprende as técnicas de harmonização com os símbolos, seus usos e funções. No nível III, considerado mestre, ele aprende o símbolo HSZSN e recebe ainda o DKM, alguns cursos ensinam um outro símbolo de origem tibetana.

O Reiki é mais que um sistema de cura natural, é toda uma filosofia com preceitos claramente inspirados no budismo. Vemos isso através dos cinco preceitos ou princípios deixados por Mikao Usui.

“Só por hoje: Não se zangue, Não se preocupe, Seja grato, Trabalhe com diligência, Seja gentil para as pessoas. Mikao Usui.

Apesar das inúmeras fontes dizendo que a OMS (Organização Mundial da Saúde) reconhece o Reiki como técnica complementar (alternativa) viável, isso não é verdadeiro, tampouco que a USP comprovou a eficácia dos tratamentos com imposição de mãos. Na verdade há uma dissertação de mestrado sobre o assunto, mas os acadêmicos (como sempre) refutam a sua metodologia.

De qualquer forma, aqueles que estiveram sobre tratamento Reiki conseguem perceber a diferença que ocorre em todos os campos (emocional, psicológico e material) do ser. Pode-se dizer que é questão de efeito placebo, porém, o mesmo funciona para crianças e animais – que não estão sujeitos a esse tipo de efeito.

beneficios do reiki

Clique na imagem para ler.

O Reiki é uma técnica interessante e muito importante para todos aqueles que pretendem ingressar no campo das terapias naturais, pois é possível até mesmo se auto-aplicar. Faça os níveis com calma e tire todas as dúvidas possíveis, não tenha pressa para se tornar um Reiki Master, pois desde o primeiro nível você já poderá aplicar o Reiki e perceberá diversas mudanças ocorrendo.

O Reiki pode ser aplicado para qualquer tipo de desequilíbrio e doença, porém nunca se deve abandonar o tratamento convencional. Eu, pessoalmente, tive resultados muito interessantes com pessoas com depressão e com dores crônicas. Além disto, apliquei na minha esposa logo após o parto cesária, antes dela poder tomar os analgésicos e ela sentiu imediatamente analgesia no local, apenas com a técnica Reiki.

Apesar de existirem diversas técnicas e sistemas, aconselho que se comece pela mais tradicional que é o sistema Usui.

Passe Magnético ou Mesmerismo

O Mesmerismo é uma técnica criada pelo médico “alemão” Franz Anton Mesmer. Sua ideia é a teoria do magnetismo animal, também chamado de mesmerismo, lançada inicialmente em 1773.

Em sua época a atenção era toda voltada para os fenômenos elétricos e magnéticos e justamente por isso Mesmer, acreditava que todo corpo animal – incluindo o ser humano – emanava magnetismo e também precisaria do magnetismo para manter a sua saúde e seu equilíbrio.

Ele acreditava que o magnetismo animal era uma força invisível e também natural. Dava ainda a essa força a capacidade de exercer efeitos físicos no mundo material, inclusive proceder com curas, por meio do equilíbrio magnético. Apesar de tentar emplacar sua ideia entre a academia científica, foi descreditado por muitos, sendo acusado de charlatanismo.

Mesmer acreditava que a doação do magnetismo de uma pessoa saudável, ajudaria a equilibrar o magnetismo de outro indivíduo. Também acreditava que o mesmo poderia ser feito por meio de implementos externos.

Este pensamento acabou influenciando Allan Kardec e toda corrente espírita para o conhecido (ou desconhecido de fato) passe espírita.

Passe Espírita

Allan Kardec, ou melhor o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, era um grande admirador do trabalho de Franz Mesmer, justamente por isso foi influenciado por suas ideias e por suas técnicas.

Segue abaixo a definição de passe espírita dada no site da Federação Espírita do Brasil:

Para o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, a palavra passe apresenta vários significados, entre outros, é o “ato de passar as mãos repetidas vezes por diante ou por cima de pessoa que se pretende magnetizar ou curar pela força mediúnica.”[1]

O Dicionário de Parapsicologia, Metapsíquica e Espiritismo conceitua passes como sendo

movimentos com as mãos, feitos pelos médiuns passistas, nos indivíduos com desequilíbrios psicossomáticos ou apenas desejosos de uma ação fluídica benéfica. (…) Os passes espíritas são uma imitação dos passes hipnomagnéticos, com a única diferença de contarem com a assistência, invocada e sabida, dos protetores espirituais.” [2]

O Espiritismo oferece uma visão mais abrangente do assunto que, resumidamente, podemos assinalar assim:

  • Passe é uma transmissão conjunta, ou mista, de fluidos magnéticos – provenientes do encarnado –  e de fluidos espirituais – oriundos dos benfeitores espirituais, não devendo ser considerada uma simples transmissão de energia animal (magnetização).
  • A aplicação do passe tem como finalidade auxiliar a recuperação de desarmonias físicas e psíquicas, substituindo os fluidos deletérios por fluidos benéficos; equilibrar o funcionamento de células e tecidos lesados; promover a harmonização do funcionamento de estrutura  neurológicas que garantem o estado de lucidez mental e intelectual do indivíduo.
  • O passe é, usualmente, transmitido pelas mãos, mas também pode ser feito pelo olhar, pelo sopro ou, à distância, por intermédio das irradiações mentais.
  • A transmissão e a recepção do passe guarda relação com o poder da vontade de quem doa as energias benéficas e de quem as recebe.
  • A cura verdadeira das doenças está relacionada ao processo de reajuste do Espírito, que pode  extrapolar o limite de tempo de uma reencarnação, sendo o passe apenas um instrumento de auxílio.
  • Para prevenir-se contra enfermidades ou perturbações,não previstas na Lei de Causa e Efeito,  é necessário que a pessoa defina e siga uma programação de melhoria moral, de esclarecimento espiritual.

Para Emmanuel, assim

(…) como a transfusão de sangue representa uma renovação das forças físicas, o passe é uma transfusão de energias psíquicas, com a diferença de que os recursos orgânicos são retirados de um reservatório limitado, e os elementos psíquicos o são do reservatório ilimitado das forças espirituais.

Contudo a sua estrutura mudou muito no Brasil, principalmente com a inclusão da sistemática de passes postulada por Edgard Armond em seu livro “Passes e Radiações – Métodos Espíritas de Cura“.

Entretanto, o que ocorre hoje no cenário espírita é uma catarse sobre o sistema de passes e o auxílio dos “amigos e mentores espirituais”, deixando tudo a cargo deles, sem compreender de fato o que é um passe e sua mecânica. Essa situação criou uma geração de coreógrafos passistas, que não são assistidos por entidades espirituais e tampouco conseguem acessar as energias universais para promulgar a cura espírita.

Desta forma, muitos passistas relatam desgastes físicos, dificuldades em se concentrar, problemas de memória, exaustão e até mesmo perturbação espiritual, após as sessões de passe. Isso, nos leva a crer, que a energia deles é que está sendo doada, desmagnetizando-os e tirando sua própria energia vital, doando para um próximo. Porém, ao olhar do leigo, aquilo que pode soar como caridoso é na verdade egoísta e só prejudica o indivíduo.

Um exemplo bem humorado do que ocorre no movimento espírita atualmente, relativo ao passe, pode ser visto em um esquete do canal Amigos da Luz, intitulado “Taca-lhe Passe”:

Calatonia

Eu tive contato com essa técnica na pós-graduação em Naturopatia, dentro da disciplina de “Doenças Psicossomáticas” e me causou espanto, incerteza e depois satisfação em ver como a técnica era simples e eficiente.

Calatonia é uma técnica de relaxamento profundo, outro nome pelo qual as técnicas de imposição de mãos são conhecidas. Segundo seu criador Pethó Sándor, um médico húngaro, que escolheu o Brasil para ser sua casa desde 1949 (e que faleceu em 1992), a técnica de calatonia leva a uma regulação do tônus, promovendo o reequilíbrio físico e psíquico do paciente.

Ela tem um mecanismo de funcionamento baseando-se na “sensibilidade tátil”, por meio de estímulos em áreas com uma alta concentração de receptores nervosos. Por meio destes toques, realizados na área dos pés (e aqui podemos até mesmo relacionar com a reflexologia) e um outro toque (opcional) na região da cabeça, onde conhecemos como região occipital.

No momento da aplicação o silêncio é importante, isso já induz o paciente a uma sensação de calma e tranquilidade, relaxando-o para receber os toques .

Tive experiências incríveis com essa técnica, tanto sendo o aplicador, quanto sendo o receptor e posso assegurar que apesar da simplicidade, é uma técnica bem eficiente.

Para saber mais entre na página Calatonia.org.

Benzimento

O benzimento também pode entrar lista de técnicas de imposição de mãos, pois em alguns tipos de benzimentos, o benzedor irá segurar a criança ou posicionar sua mão em partes do corpo dos benzidos (principalmente nos ombros) e irá proferir suas rezas e orações.

Unindo as técnicas da rezação e também do toque, é possível dizer que o benzimento atuará manifestando-se beneficamente, transmitindo eflúvios positivos para o benzido. Aqui temos que ressaltar que apesar de superficialmente parecer igual a um passe espírita, o benzedor não doa sua própria energia e não faz uso da energia de uma entidade espiritual, mas sim de um repositório universal e arquetípico de energia, convocada pelo mesmo antes das práticas de benzimento.

Em outras palavras, o benzedor irá se ligar a energia de um Santo ou Divindade para então promulgar sua reza e sua cura, porém esse tipo de atuação apenas usa o benzedor como canal e muitas vezes seu escopo de atuação é limitado aos planos mais densos, sendo esse o corpo astral, duplo-etéreo e corpo físico.

Apesar do corpo astral receber os eflúvios, ele não é o alvo primordial na prática do benzimento, sendo apenas um “efeito colateral” benéfico deste. A intenção é que por meio do corpo chamado “duplo-etéreo” encontre ressonância tanto no corpo astral, quanto no corpo físico.

Para saber mais sobre benzimentos e suas práticas recomendamos o texto Benzimento: A arte de cura brasileira e também nosso curso de benzimento no Núcleo de Estudos Sapienza: Benzimento: Arte e Tradição.

Johrei

Como Johrei não é minha praia, convidei a Professora Ediléia Diniz para falar um pouco sobre essa técnica ligada a Igreja Messiânica.

O que é o Johrei?

Johrei é uma palavra japonesa que significa Purificar (Joh) o Espírito (rei), o que em paralelo com a doutrina cristã, podemos considerar como um batismo de fogo, ou o ato de purificar o espirito pela energia do fogo, a luz ou energia emitida pela transmissão do Johrei. Muitas vezes comparado com o reiki, que apesar de ter a mesma sonoridade (rei) não tem o mesmo princípio.

Ambos são transmissões de energia, contudo, de acordo com a literatura messiânica, o Johrei capta energia solar, enquanto o reiki obteria energia da lua. O Johrei tem o objetivo de auxiliar o ser humano e espiritual na eliminação de máculas que se acumulam no seu corpo físico e espiritual e que precisam ser expurgados por meio da purificação.

A limpeza pode se materializar no corpo físico por meio do que a medicina ocidental considera como sendo “doença”, como o caso de uma gripe, diarreia, enxaquecas etc. Não somente as doenças físicas, mas as doenças da alma também são consideradas uma purificação, pois o sofrimento causando por uma pela dor, é algo que também auxilia no processo de purificação.

As máculas espirituais são acumuladas no corpo pelo ser humano ao longo de sua existência até que se materializam no seu corpo físico. Dai a necessidade de elevar seu espirito por meio de práticas altruístas, artísticas, etc. Entretanto, o corpo físico pode ser também contaminado por fontes extrínsecas, chegando inclusive a macular o corpo espiritual, quando se ingere toxinas como remédios, drogas etc.

A energia do Johrei é transmitida por meio da imposição de mãos daquele que porta a medalha da Luz Divina (Ohikari), o que significa que é necessário passar por uma iniciação para transmiti-lo. Além disso, o transmissor não coloca a sua energia no processo, ele é apenas um canalizador da luz divina e o transmite ao receptor.

No ato do johrei, não é necessário realizar nenhuma prece, apenas pedir a permissão para ser o canalizador e transmissor da luz divina. Ambos são beneficiados no momento do johrei e assim como seus antepassados também, pois ao receber johrei, toda a linhagem de antepassados do receptor, pode receber a energia do johrei também. Para isso, é necessário que o mesmo seja transmitido, principalmente, nas costas.

Abaixo um vídeo da própria Igreja Messiânica sobre o Johrei:


¹ Homeostase é o equilíbrio natural do corpo, onde tudo está funcionando perfeitamente. Segundo o dicionário: “processo de regulação pelo qual um organismo mantém constante o seu equilíbrio”