Usando Guias como Círculos Mágicos para Mirongas

Usando Guias como Círculos Mágicos para mirongas (1)Nós usamos guias-de-contas o tempo todo dentro das práticas de Umbanda, geralmente baseando-se no seu fator mais protetor. Contudo as guias-de-contas podem ser usadas para várias finalidades e uma das mais incríveis e menos usadas é como um círculo de proteção, evocação e invocação.

A guia ou fio-de-contas, quando consagrado para tal acaba se tornando, realmente, um círculo mágico protetor. Círculos mágicos acabam sendo limitadores ou uma definição de espaço sagrado e controlado para que possamos trabalhar em segurança todos os tipos de magia.

Algumas pessoas refutam o uso de círculo mágico em suas práticas e outros até mesmo dizem que na Umbanda as entidades não fazem um círculo mágico para seus trabalhos. Será?

O que vem a ser todas as limitações do Congá? A separação da assistência e da corrente mediúnica? O Giro com a defumação pelo terreiro? Todos os pontos e firmezas colocados nas paredes do terreiro? É uma forma de cercar o ambiente para os trabalhos que lá ocorrerão.

O círculo mágico assim formado no astral só poderá ser adentrado por quem os mantenedores ou conjuradores do mesmo permitirem e evocarem. Logo, um espírito obsessor só conseguirá entrar no círculo mágico se for chamado, permitido ou se o mesmo estiver enfraquecido (e isso pode ocorrer).

Além disso, os guias-espirituais podem fazer uso das guias-de-contas para essas práticas, mas nós médiuns ou feiticeiros acabamos muitas vezes dependendo demais do guia e deixando tudo a cargo deles. Precisamos assumir um pouco de nossa responsabilidade nisto e começarmos a trabalhar de forma independente e responsável também.

Aqui vou explicar como preparar uma guia para essa finalidade em específico.

Preparando a Guia – Limpeza

Para preparar uma guia para essa finalidade, o ideal é limpá-la e entregá-la na mão de um guia de confiança, dizendo para o mesmo qual o seu intento.

Na ausência de um guia-espiritual e na necessidade de fazer uma mironga com a guia, podemos nos valer das práticas mágicas pessoais.

Escolha uma guia com a cor desejada para o propósito que necessita ou escolha uma guia branca, que acaba servindo para todos os propósitos. A guia branca tem um propósito mais geral, porém lembre-se de utilizar materiais que não sejam plásticos, de preferência. Use miçangas de louça, cristal, sementes, etc.

Limpe a mesma em água corrente (pode ser a água da torneira) esfregando sal grosso na mesma e a deixe de molho em uma salmoura (água com sal grosso) por 24 (vinte e quatro) horas. Disponha três velas brancas em formato de triângulo, conforme a ilustração abaixo:

Só colocar a guia dentro do preparo não fará nada acontecer, você precisa conjurá-la. Para isso faça uma prece de coração pedindo para que as forças divinas (que você evocar) possam limpar completamente a guia e prepará-la para receber sua consagração para o propósito que irá definir. Um exemplo:

“Eu evoco Deus e seus divinos protetores, para que possam por meio desse preparo de água e sal, limpar completamente essa guia-de-contas de todas as energias que ela possuir, deixando-a como nova, para receber a conjuração e a consagração que eu vier decidir posteriormente. Assim seja…”

Lembrando que conjurar é um ato de conversar com as forças e elementos, definido seu intento, colocando sua vontade diante do proposto material para que esse de fato se torne mágico.

Preparando a Guia – Imantação

Depois das 24 horas de limpeza, retire a guia do preparo de salmoura e lave novamente em água corrente, brevemente. Deixe a guia descansando em cima de papel toalha e faça um preparo de ervas para imantação usando: Arruda, Guiné, Alecrim, Alfazema e Rosas Brancas.

Esse preparo é feito aquecendo a água até antes dela entrar em ebulição e então despejando a mesma por cima das ervas, como uma infusão. Deposite a guia-de-contas dentro desse preparo e deixe por mais 24 horas, acendendo novamente três velas brancas em triângulo.

Novamente não se esqueça de conjurar o preparo para que a guia seja consagrada como um círculo protetor para suas práticas mágicas, uma barreira limitadora para que nada de ruim ou que não tenha sido chamado por você possa lhe atacar enquanto está praticando a sua magia. Por exemplo:

“Em nome de Deus, dos Guardiões que atuam na força de (Ogum / São Jorge / São Miguel / Outra força protetiva), que possa esse preparo imantar minha guia-de-contas para que ela tenha o proposito de ser usada como um círculo protetor mágico, defensivo e limitador de energias externas. Que só adentre a esse círculo aquilo que eu desejar e convidar. Que todos aqueles, sejam espíritos, inteligências ou seres sobrenaturais e astrais que tentarem adentrar o círculo mágico possam ser repelidos e afastados. Que assim seja!”

Em alguns casos pode-se usar uma oração que tenha sinergia com o pedido como o caso da Oração de São Jorge ou a entonação do Salmo 91, por exemplo.

Após transcorrida as 24 horas, retire a guia-de-contas de dentro da água e deixe-a em cima de papel-toalha para secar de forma natural. Assim que ela estiver completamente seca, ela estará pronta para os trabalhos de magia.

Conservação da Guia.

O ideal é que a mesma seja guardada sempre enrolada em um pano branco ou em um saco de tecido branco, próprio para ela. Não é recomendável colocar outras guias com outras energias no mesmo saco ou no próprio pano. Lembre-se que essa guia tem um propósito muito especifico.

Com o tempo a energia da guia acaba ficando saturada, sendo necessário novamente carregar suas energias, repetindo o passo da Imantação. Não será necessário limpá-la, a não ser que você ache que o melhor é que ela seja “reiniciada” ou que esteja tão carregada que não é possível recuperá-la.

Nesse último caso, você pode tentar novamente refazer a guia, limpando-a ou reimantando-a, mas não há extrema necessidade. O uso constante da guia também irá impregná-la com suas energias psíquicas, o que fará com que ela tenha uma maior afinidade com as suas práticas mágicas e acabe sendo mais efetiva (quando carregada adequadamente).

Fazendo o mesmo para Guia de Esquerda.

Você pode fazer o mesmo para guias de esquerdas, pretas e vermelhas (raramente só com contas pretas), com o mesmo propósito mágico de círculo de proteção mágico, mas que será usada para magias mais agressivas ou realmente magias de ataque usando de feitiços não-éticos ou de retorno energético violento.

Se for fazer isso, todos os passos são os mesmos, porém as ervas usadas para imantação são diferentes, devendo-se utilizar: Arruda, Alecrim, Manjericão, Sálvia, Quebra-Demanda, Casca de Alho e Fumo de Corda.

Guarde essa guia também enrolada ou em um pano preto ou em um saco com tecido vermelho por fora e no interior, forrado de tecido preto.


Exemplo de uso: Mironga para harmonização do lar.

Você irá usar um copo de água, um ramo de manjericão, um cristal de quartzo e uma vela branca. Disponha a guia-de-contas¹ em formato circular no chão ou sobre uma tábua ou pedra (recomendo ardósia ou um piso cerâmico) e conjure:

“Em nome de Deus abro esse espaço mágico sagrado, para que nada possa perturbar a “magia/feitiço/mironga” que farei neste momento. Peço para que esse espaço mágico, representado por essa guia-de-conta possa se expandir no astral abarcando todo esse recinto e me envolvendo também. Que não entrem nenhuma energia ou inteligência contrária e tampouco entidades ou forças que não foram para cá chamadas. Que todas as forças antagônicas possam ser repelidas e que seja um espaço seguro para minhas práticas mágicas. Assim seja!”

Coloque os elementos dentro do círculo, sempre dizendo que está o colocando lá para que seja parte do seu trabalho mágico:

“Neste momento coloco este copo de água dentro desse espaço mágico, para que ele seja um elemento do meu trabalho. Neste momento coloco esta vela branca, para que ela seja elemento do meu trabalho. Neste momento eu coloco esse ramo de manjericão, para que ele seja elemento do meu trabalho. Neste momento eu coloco esse cristal de quartzo para que ele seja elemento do meu trabalho. Assim sendo e pela minha vontade de que eles atuem dentro dessa mironga / feitiço / magia.”

Exemplo de montagem da Mironga

Feito isso você pode começar a trabalhar na proposta da mironga mesmo que é a harmonização do lar:

“Pelo poder de Deus e em seu nome, com as forças apaziguadoras dos Anjos do Senhor, Peço a São Gabriel e São Rafael para que estejam conosco nos trazendo harmonia e apaziguando as inimizades que aqui podem estar se enraizando. Que todas as mágoas e inimizades sejam retiradas, anuladas e destruídas, dando lugar para frutificar a harmonia, a paz e a união dentro desse lar. Que nenhuma energia externa possa nos prejudicar. São Gabriel e São Rafael, em nome de Deus, clamamos por suas forças para esse trabalho. Assim seja!”

Pode também entoar o Salmo 33, que é um Salmo para proteger, unir e abençoar os membros de uma família.


¹ No caso estou usando um terço, que também pode ser consagrado se for de elementos mais naturais como madeira, cristais, pedras e cerâmica. Evite os terços de plástico.

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Douglas Rainho

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Você pode gostar...