Crítica: Carta ao Papo Carismático – Visão Católica Sobre o Espiritismo

Papo CarismáticoOs fiéis levantam as vozes e exclamam que aquilo era obra do demônio, pois no texto sagrado há escrito que a manifestação e comunicação com os espíritos eram proibida por Deus e assim toda e qualquer forma de comunicação com alguém que já não estava no plano dos vivos seria obra do diabo.  Exclamam que aquilo é contrário as leis da Igreja e que só a mesma pode manifestar as vontades de Deus, sendo a única verdade.

Esse cenário nos lembra muitos as perseguições medievais¹ da inquisição, porém ocorreu agora, em 2018 em um podcast² chamado Papo Carismático, mantido pelo Grupo Fonte de Vida.

Tive contato com o episódio e achei que era uma oportunidade para entender a visão de outras religiões sobre o Espiritismo. Esperava – que iludido eu – ouvir sobre uma proposta ecumênica, uma proposta de aceitação das múltiplas formas de se cultuar o sagrado e também de uma posição respeitosa, mas como os locutores disseram proposta do episódio 63: Visão Católica sobre o Espiritismo era trazer a visão da igreja sobre o Espiritismo e de COMO isso era ERRADO, logo em 2 minutos minha esperança se transformou em pânico, que foi convertido (Amém) em repulsa posterior.

Vou nesse texto pontuar algumas falas e como são interpretações rasas de uma doutrina, porém antes quero deixar um recado para esse e para os demais podcasts, seja de que assunto for, que antes de falar sobre algo de que não são conhecedores, ou se informe ou consulte alguém que entenda. Isso evita o vexame…

O programa já começa com um spot de áudio que nos leva a crer que tudo é apenas uma coisa ficcional da mente humana, um locutor falando “(…) isso são coisas da imaginação. São histórias que o povo conta”. O que já demonstra um total desrespeito por uma crença ou religião. Poderíamos dizer o mesmo da fé professa em Jesus Cristo, afinal não há nenhuma confirmação histórica comumente aceita de que ele realmente tenha existido. Tudo que sabemos a sei respeito se dá por histórias, pela bíblia e outros textos e pelas religiões professadas.

A ideia deles, pelo que expuseram, é tratar várias religiões sob a ótica católica. A escolha pelo Espiritismo como inaugural nesta série de episódios, segundo a locutora é devido a existirem diversos “espiritólicos”³ por aí, como – segundo ela mesma – ela fora no passado. Outro ponto por terem começado esse episódio e lançado na semana da paixão é que o Espiritismo é uma vertente mais forte (!) e que acredita na reencarnação. Nesta semana da paixão eles iam tratar da Ressurreição e não da reencarnação, afinal o certo é a ressurreição.

Aqui já vemos todo o preconceito e também a forma errada em expor a sua própria opinião. Segundo os locutores a idéia que eles tinham é de ESCLARECER MELHOR qual a visão das igreja sobre “Essas Coisas” (assim mesmo que foi dito). Coisas que no Brasil dizem: “É normal ser espírita e católico. Participar das missas e freqüentar o centro”.

Aqui concordo que existe mesmo essa ideia dentro do meio espírita, porém o que esqueceram de falar é que o Espiritismo por ser uma doutrina ou filosofia, pode ser incluído em qualquer forma de manifestação religiosa, pois não compete com essa. Sei que existem diversas divergências doutrinárias entre Espiritismo e Catolicismo, coisas que Roustaing tentou adequar de forma covarde, porém seja qual for, a forma de manifestar essa oposição sem procurar entender de fato o espiritismo em seu nascimento e sua concepção original só cheira a “uma mistura do mal, com atraso e pitadas de psicopatia”, parafraseando o ministro Barroso.

Na visão dos locutores tudo isso é incompatível, porém ao invés de expor o porquê simplesmente dizem o famoso bordão: “Porque não pode”.

Quando entram nas definições, as coisas ficam bem interessantes, pois a Locutora diz que existe o Espiritismo e o Espiritualismo. Como se esses dois termos fossem duas religiões ou duas doutrinas apenas. Furtou-se reconhecer ou estudar que Espiritismo é uma doutrina filosófica e moral, com viés científico (de confirmação e investigação e não exatamente de confirmação científica no paradigma da ciência contemporânea) do mundo dos espíritos e daquilo que é dito como sobrenatural. Que Espiritismo é um termo cunhado por Allan Kardec e que representa o conjunto de ensinamentos dos espíritos da codificação.

Esqueceu-se de procurar no dicionário que espiritualismo é:

Espiritualismo

substantivo masculino

  1. fil doutrina que consiste na afirmação da existência ou realidade substancial do espírito, e de sua autonomia, diferença e preponderância em relação à matéria.

  2. p.ext. rel qualquer doutrina ocultista ou religiosa que acredita na existência de espíritos imateriais.

Sendo assim qualquer crença que preconiza que existam espíritos podem ser enquadrados como espiritualismo, porém isso é muito amplo. Não é algo restrito ou uma só crença ou sequer seguem a mesma ideia ou paradigma, na verdade é um termo mais abrangente e universal.

Mas não para por aí, fica pior quando eles dizem que o Espiritismo Kardecista é a vertente mais conhecida do Espiritismo e que foi criado por um “Cara” chamado Allan Kardec, que na verdade não era Allan Kardec.

Oras, tão evidente o desconhecimento assim? Sabem eles que os espíritas (de fato) não conseguem usar o termo kardecista sem ter uma síncope? Que é um termo incorreto e preconceituoso, pois a palavra espiritismo já encerra a compreensão sobre o que se quer passar com a palavra Kardecismo, quase usado como um adjetivo.  Além disso demonstram a mais pura mistura de preconceito com preguiça de compreensão e estudo quando diz que Allan Kardec partiu para estudar o fenômeno das MESAS GIGANTES!, ainda confirmando “GIGANTES, ISSO MESMO!”.

Não sabia que Allan Kardec era um visitante freqüente da cidade de Itu, no interior paulista, que tem como grande chamariz os objetos em tamanhos exagerados. O que Kardec de fato estudava era o fenômeno das mesas GIRANTES, que giram.

Leitor, se você já está chocado – imagine eu ao ouvir tudo – não para por aí. O Locutor ainda disse que no Brasil temos a Umbanda, que é um outro tipo de Espiritismo. Então teríamos, segundo os mesmos, o Espiritismo Kardecista e o Espiritismo Umbandista, coisa de religão afro e, pontuam, que os espíritas puros não gostam de Umbandistas.

Cara, quanta generalização e banalização. Eu tenho um vídeo tratando sobre o tema: “Umbanda é Espiritismo?”. Recomendo que o assistam…

Aliás, a Locutora afirma que tudo que mexe com “IXPRITO” é Espírita. Invalidando assim crenças e práticas milenares. Para dar mais perfume ao episódio ainda dizem que a Umbanda é uma religião que possuí ligação com outras entidades, além das que o Espiritismo trata, que são Luminosas ou das Trevas!

O Espiritismo para eles do programa é uma Doutrina religiosa e filosófica. Mas logo em seguida ela diz que não é religião, mas uma seita, porém é vista como religião. Entendem a confusão na escolha dos termos e na exposição?

O Espiritismo só tomou corpo de religião no Brasil pois tem forte influência Católica e Rounstainista. Em sua criação não era tida como uma religião, mesmo se utilizando de termos e de retórica religiosa. O Tao segue o mesmo padrão.

O termo SEITA também não é bem aceito dentre os pesquisadores e acadêmicos que tratam da religião. Segundo a Professora e Mestra em Ciências da Religião Ediléia Diniz:

“O termo seita, de acordo com Ernst Troeltsch, foi cunhado para se contrapor ao termo Igreja e diz respeito a um grupo relativamente pequeno, que aspira a perfeição interior do indivíduo, tendo como objetivo o companheirismo pessoal e direto entre os membros do grupo. Ainda de acordo com o autor, a Igreja se caracteriza por uma organização fundamentalmente conservadora, o que Max weber considera ser o processo de institucionalização da religião. Na dinâmica atual, contemporânea e pós moderna como caracterizou Bauman o conceito de seita não mais se aplica e caiu em desuso, sendo agora aplicado em outra categoria de Novos Movimentos Religiosos, devido a fluidez do campo religioso, principalmente no Brasil.”

Sugerimos o texto: Igreja e Seitas de Ernst Troeltsch

O Espírita é o cara que segue lá o Allan Kardec e o Umbandista é… o resto, é espiritualista. Quanta confusão, se afirmam acima que o Umbandista também é um espírita.  Apesar de tudo estar incorreto, mas isso só reforça a confusão nas exposições de pensamento.

A locutora ainda pontua:  “Toda aquela bagunça de esoterismo e ocultismo é espiritualista”.

O Espiritismo segundo eles baseia-se na bíblia, porém não é fato. O Espiritismo se  baseia na codificação proposta pelos Espíritos da codificação e tem como texto principal o Livro dos Espíritos. O Evangelho Segundo o Espiritismo é apenas uma bússola moral para saber como direcionar o pensamento humano conforme uma regra moral e social.

Cristo para o Espiritismo é um guia, segundo o Locutor, um espírito avançado. Isso sim, de fato. O Espiritismo vê Jesus como o ser humano mais perfeito, o maior médium, aquele que conseguia falar com o mundo espiritual como se fala com o vizinho. Mas para o católico, a visão espírita é errada pois Jesus é o Deus encarnado.

Claro, que quando entramos nas comunicações com os espíritos, destila-se toda a sorte de frases prontas e tal. Citam claramente a proibição aos necromantes, citada em Deuterônomio 18:

“Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o Senhor teu Deus.”

Mas se essas regras do antigo testamento valem, as demais também valem, não?

  • “Também o porco, porque tem unhas fendidas, e a fenda das unhas se divide em duas, mas não rumina; este vos será imundo. Das suas carnes não comereis, nem tocareis nos seus cadáveres; estes vos serão imundos.” Levítico 11:7,8
  • Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades da tua barba.”Levítico 19:27
  • “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o Senhor.”Levítico 19:28
  • “Mas todo o que não tem barbatanas, nem escamas, nos mares e nos rios, todo o réptil das águas, e todo o ser vivente que há nas águas, estes serão para vós abominação.”Levítico 11:10
  • “Estatuto perpétuo é pelas vossas gerações, em todas as vossas habitações: nenhuma gordura nem sangue algum comereis.” – Levítico 3:17
  • “Guardarás os meus estatutos; não permitirás que se ajuntem misturadamente os teus animais de diferentes espécies; no teu campo não semearás sementes diversas, e não vestirás roupa de diversos estofos misturados.” – Levítico 19:19

E várias outras como não usar roupas com tecidos diferentes, não misturar certos tipos de alimentos, etc…

Além disto tudo na proibição aos necromantes, fica claro que há falta de compreensão na própria obra católica, ou talvez dos pseudoreligiosos católicos. Eles criticam que usa-se de uma passagem bíblica para justificar a reencarnação, onde se diz que João Batista é a reencarnação de Elias (esse um profeta que fora arrebatado). Categoricamente afirmam que tem que levar o código dos necromantes literalmente e que não se deve levar essa passagem literalmente.

Quanto a proibição de comunicação com os mortos, pergunto-me sobre a passagem em que o Rei Saul consulta o Espírito do profeta Samuel, encontrado em 1 Samuel 28:7-20. Então, como poderia deixar claro que o próprio Rei fundador, uma das figuras mais respeitadas do texto bíblico, infringiu o código de Moises e a sua proibição?

O texto já está bem longo, então faça uma pausa, tome um café, um chá de capim-cidreira ou uma água e volte a ler depois, pois entraremos agora na questão das irmãs FOX.

Como se sabe as irmãs Fox eram americanas e ficaram conhecidas pela suposta comunicação por meio de pancadas com inteligências desencarnadas. Não vou contar a história pois a mesma é cercada de incongruências, porém aqui vemos que elas tomaram um vulto ainda maior na fala desse podcast. Eles citam que as irmãs faziam isso para assustar seus pais que eram muito religiosos, além disso que elas acabaram no alcoolismo e morreram. Cita ainda que Allan Kardec fora a América ter com as irmãs Fox para verificar a manifestação e que dessa forma ele afirmava que era um caso real.

Oras, em todos locais que já procurei nunca vi essa versão de que Kardec viera para a América para estudar as irmãs Fox. Gostaria que eles citassem as fontes disto.

Com esse caso das Irmãs Fox, eles tentam expor que os Espíritas trabalham explorando a fragilidade e a falta de conhecimento dos que sofrem, pois no catolicismo a fé não diz isso, diz que eles são fortes. Criam até uma teoria da conspiração envolvendo a – odiada por todos – Rede Globo em suas novelas, onde os Espíritas nas novelas são pessoas boas, centras e educadas e que os Católicos seriam aloprados e figuras caricatas como padres e freiras. Que isso seria uma forma de mostrar que os espíritas são mais inteligentes, mais desenvolvidos. Cheira até uma pontinha de inveja aqui não?

Citam ainda que a GLOBO – aquela maledeta – tenta converter você leitor que assiste seus folhetins! Ainda dizendo que há um monte de comentários de espíritas em sites católicos metendo o pau em suas crenças. Gostaria de que me mostrassem alguns, que não sejam adolescentes revoltados com a vida.

Dizem ainda que a missão no espiritismo é que você desenvolva a sua intelectualidade e que ele o incentiva a isso. Claro que é, de fato a base é que tudo passe pela razão. Afinal, poderia ser diferente em uma “religião” onde há livros que pautam os ensinamentos? Não é assim na igreja?

Quando entraram a falar sobre Karma então, nossa… meus ouvidos sangraram. Karma não existe no Espiritismo, o termo é Lei de Causa e Efeito.

A caridade, para os locutores, é uma forma de atenuar o  Karma, por isso que os espíritas a praticam, pois são interesseiros procurando não o melhoramento do próximo, mas sim livrar a sua barra para não irem pro inferno. Esquecem que quando Kardec coloca que “Fora da Caridade não há salvação”, isso quer dizer que a Caridade é uma obrigação moral de todo ser humano, em ajudar seu semelhante, algo dito pelo próprio Jesus Cristo em “Amai-vos uns aos outros”. Mas não, os espíritos fazem caridade para se safar!

Chegam a desdenhar dizendo que os Espíritas acreditam até em Extraterrestres! Poutz Robson, aí você queimou a galera do rolê espírita né? Mas, segundo os locutores, os espíritas acreditam em outros planetas. Poutz! (de novo) é claro que acreditam, afinal estão no espaço e são facilmente observáveis.

Ao tratar da reencarnação, mais uma leva de erros. Você sabia, seu espírita bobão, que você pode reencarnar numa planta ou em um animal? Pois é… nem eu. Além disso que o suicídio te leva a voltar com um membro deformado? Se você morrer enforcado virá com problemas no pescoço?

Vejam como resumem e simplificam até a bestialização a ideia das penas futuras. Pior é quando a locutora fala:

“(…) Crianças deficientes é um karma de uma coisa muito ruim que fizeram no passado, segundo os espíritas. Já ouvi minha irmã pregando sobre falsas doutrinas uma vez.”

Cara, abertamente falou que o Espiritismo é uma falsa doutrina. Neste momento o mundo chora cantando abraçados “We are the World”.

O sofrimento que o espírita entende é que seja para pagar e purgar e se elevar. Que isso está errado, não é o que Deus ensina. Porém, Jesus não sofreu na via crucis para expurgar os erros dos homens? Cara… tô confuso. Mas ela me respondeu depois, pois Jesus é Filho de Deus, ele sofreu, se ele sofreu, por que nós não podemos sofrer? (Uma hora refuta e na outra diz que se Jesus sofreu a gente também tem que sofrer).

Enfim no bloco “Incompatibilidade do Espiritismo com o Catolicismo” citam:

  • Não existe comunicação com os espíritos. O que existe é comunicação com os Demônios, porque isso é possível. (Tudo conforme eles disseram).
  • Diz que contaminação é sempre algo ruim. Esquece-se que no dicionário usa-se o termo para dizer sobre a influência de algo em outro algo. Não é necessariamente ruim.
  • Que Deus proíbe.
  • Que Espírita não é cristão, pois cristão é só aquele que acredita que Jesus veio como o Salvador.
  • O Espiritismo não tem autoridade para tentar interpretar o Evangelho, que é um absurdo ter um Evangelho (interpretado) Segundo o Espiritismo.
  • Deus colocou no coração da Locutora que a Doutrina Espírita é extremamente egoístaa pois você não precisa de um salvador, você salva a você mesmo.
  • Que o católico sofre por amor a DEUS!
  • Que o católico não quer por ele, mas por amor ao outro… PURO AMOR.
  • Que o espírita faz caridade para conseguir sempre alguma coisa.
  • Que o pai da Locutora era tratado em um centro espírita contra o alcoolismo e que melhorou, mas era uma falsa melhora pois ele estava fazendo coisas que o diabo queria e então o diabo iria melhorar ele temporariamente.
  • Que o local em que ela foi era um barracão gigante, com o povo recebendo espíritos, cantando, batendo palmas e etc. (ela descreve um terreiro e não um centro espírita, mas diz que era um centro espírita. Apesar que nenhum dos dois merecem essa alcunha horrível que ela imputa).
  • Que incorporar espíritos é um SHOW DE HORRORES!
  • Que o dirigente da casa disse que ela seria médium (ela era criança quando ia lá), mas que não era para tirar ela da catequese, porque segundo a Locutora eles não entram de sola, vão preparando a abordagem.
  • Que o Espiritismo não é de DEUS.
  • Que depois que parou de frequentar o centro/terreiro, a fúria do pai dela devido as crises com o álcool vieram em dobro.
  • Que a Doutrina Espírita não acredita num Deus de misericórdia pois obriga você a voltar a viver para pagar seus pecados (só que esqueceu de ler que não existe pecado no espiritismo, mas sim causa e efeito).

Finalizando

Pois bem, nem consegui terminar de ouvir o episódio, o mesmo já estava em 40 e pouco minutos. Mas são tantas coisas que não consegui terminar de ouvir.

Não sei se é para rir, chorar ou se revoltar. O que me entristece é que enquanto há várias frentes que procuram o esclarecimento, a comunhão das religiões em prol da paz e da felicidade, muitos agem assim usando veículos de comunicação em massa para proferir mentiras.

Vejo até como mais falta de informação e um preconceito de fato do que um ataque articulado, mas fica evidente a falta e capacidade de compreensão do fenômeno religioso em uma visão sócio-antropológica e até mesmo em uma visão mais popular do mesmo.

Falta de respeito que não é ensinada nos códices bíblicos, pois na parábola do Samaritano, o mesmo que era visto como um gentio, um homem fora da fé, demonstrou ter muito mais caridade e amor a Deus (mesmo que não fosse o deus hebreu) do que os próprios e isso se perpetua até os dias de hoje.

Essa não é uma crítica ao católico, mas aos religiosos de mentes fechadas. Outro dia mesmo lançaram um podcast, supostamente de práticas mágicas, que fala um monte de M.. sobre a Umbanda, dita por um suposto umbandista. O que esperar de pessoas que não praticam a religião? No mínimo que pesquisem…

Renovação Carismática e o Papo Carismático

O que me chama atenção é que segundo a “não confiável” wikipédia:

“O/A Renovamento Carismático Católico (português europeu) ou Renovação Carismática Católica (português brasileiro)[1] (também chamada “RCC”) é um movimento da Igreja Católica Apostólica Romana surgido nos Estados Unidos em meados da década de 1960 e espalhada por todo o mundo, pela influência da Movimento Carismático da Igreja episcopal protestante, dentro de um pensamento ecumênico, porém mantendo os dogmas do Catolicismo Romano.

A prática da RCC baseia-se na experiência pessoal com Deus, pela força do Espírito Santo e de seus dons, a fim de que todos tornem-se discípulos de Jesus Cristo.

O movimento procura oferecer uma abordagem inovadora às formas tradicionais de doutrinação e dos ritos da Igreja, mas sem desviar-se da Doutrina da Igreja Católica como muitos o fazem e permanecendo fiel a todos os preceitos católicos romanos. Existem atualmente mais de 100 milhões de membros espalhados pelo mundo (comumente denominados Católicos Carismáticos).”

Uma visão bem distante do que vi durante todos os minutos que consegui ouvir. Lembrando que essas práticas só surgiram após o Concílio Vaticano II, entre 1961-1965. Antes disso, qualquer manifestação carismática era vista de outra forma pela Igreja. Algo a se pensar, não é?

A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil x Renovação Carismática Católica

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em seu documento de número 53, oferece recomendações disciplinando certas práticas místicas no contexto da RCC. Por exemplo, que se evite a prática do “Repouso no Espírito” (na qual as pessoas parecem desmaiar durante os momentos de oração, mas permanecem conscientes do que ocorre em sua volta). E preocupações exageradas com o demônio:

63 – Orar e falar em línguas: O destinatário da oração em línguas é o próprio Deus, por ser uma atitude da pessoa absorvida em conversa particular com Deus. E o destinatário do falar em línguas é a comunidade. Como é difícil discernir, na prática, entre inspiração do Espírito Santo e os apelos do animador do grupo reunido, não se incentive a chamada oração em línguas e nunca se fale em línguas sem que haja intérprete. (Nota do Perdido: Não era o demônio?)

65 – Em Assembléias, grupos de oração, retiros e outras reuniões evite-se a prática do assim chamado “repouso no Espírito”. Essa prática exige maior aprofundamento, estudo e discernimento. (…) (Nota do Perdido: Prostra-se ao chão em condições de movimentar o corpo, mas consciente do que ocorre ao redor. Quase uma incorporação).

68 – Procure-se, ainda, formar adequadamente as lideranças e os membros da RCC para superar uma preocupação exagerada com o demônio, que cria ou reforça uma mentalidade fetichista, infelizmente presente em muitos ambientes. (Nota do Perdido:  Mas citam e o demônio é o arroz de festa desse povo).

O documento também menciona aspectos positivos do movimento.

Fonte: Wikipédia


¹ Na verdade historicamente as perseguições da inquisição não ocorreram no período medieval como nosso conhecimento padrão crê. Isso ocorre em uma época dada como renascimento ou renascença. A inquisição espanhola por exemplo ocorreu de 1478 a 1834. Gustav Henningsen e Jaime Contreras estudaram os registros da Inquisição Espanhola e dos 44.674 casos, 826 foram executados, 778 são casos de efígies (bonecos que eram queimados no lugar das pessoas). Logo, temos que apenas 1,8% dos casos foram condenados a morte. Só nos EUA entre 1977 e 2017 foram executadas 1.447 pessoas.

² Podcast é uma transmissão de áudio feita sob demanda por produtores independentes. Você já ouviu o nosso podcast, Papo na Encruza? Ouça em www.paponaencruza.com

³ Espiritólico é o termo usado, um neologismo, para dizer que uma pessoa mistura as crenças católicas e espíritas.

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Você pode gostar...