Patuás, Amuletos e Talismã: Fundamentos e Feitura

patuaPor Alexandre Yamazaki

A cultura popular possui laços profundos na religiosidade. Ela tem um pouco de espiritualidade, misticismo, crendice e doutrinas. Tudo se encontra no mesmo porto da fé, se irmana de tal modo que não dá para separar os elementos pois de fato se fundem num todo. Assim são também os Patuás e suas confecções, o patuá é um objeto consagrado que traz em si axé, força mágica do santo católico, Orixá ou guia de luz, a quem ele é consagrado.

O mais popular é o escapulário, formado por dois pequenos pedaços retangulares de pano, sobre os quais estão impressos a imagem de um santo (a) e às vezes escudo do sodalício religioso da qual é patrono. Preso a um duplo cordão ou fita, fica uma parte voltada para frente, sobre o peito e outra para as costas, passando ambos os cordões ou fitas sobre a escápula, donde lhe vem o nome, cada cordão sobre um ombro.

Além dos escapulários, medalhas, terços, rosários, cordões… também muito popular é o amuleto – um objeto místico de extrema força espiritual protetiva a quem o usa. O amuleto resguarda, passivamente, sem emitir força externa que possa atingir outrem. Pode ser um objeto qualquer preparado por alguém hábil no assunto: um medalha de santo pode ser transformada num amuleto, uma cruz de raiz de guiné, uma figa, uma ferradura, um pedra, uma concha do mar, etc.

O talismã não se confunde com o amuleto, embora em si possa ser praticamente idêntico no aspecto mas não na sua atividade. É um objeto místico feito com qualquer espécie de material, desde que energizado com tal força mágica que seria capaz de agir à distância, buscando meios de alcançar um resultado ativo em prol de quem o usa. O talismã basicamente seria o mesmo amuleto, com a diferença da qual ele ter força ativa e reativa, como se fosse vivo: ele externa seu poder, irradia sob o comando mental de seu dono. O talismã é, portanto mais elaborado que o amuleto.

Na verdade, a procura do patuá ou talismã é feita principalmente por quem se sente inseguro e consequentemente necessitado de maior proteção.

Os componentes mais utilizados para a confecção dos patuás são os seguintes:

  • Figas de Guiné
  • Cavalos-marinhos
  • Olho de lobo
  • Estrelas de Salomão
  • Estrelas da guia
  • Cruz de Caravaca
  • Couro de lobo
  • Dente de lobo
  • Santo Antonio
  • Pontos diversos, orações
  • Sementes variadas
  • Dentre outros elementos…

Patuá é um amuleto muito utilizado por pessoas ligadas a Tradições Afros, é um tipo de amuleto feito de um pequeno pedaço de tecido na cor correspondente ao Orixá, ao qual é bordado o nome do Orixá e colocado um determinado preparo de ervas e outras substâncias atribuídas a cada Orixá.

A pessoa utiliza o Patuá especifico do seu Orixá no bolso da sua vestimenta, dentro de carteiras e bolsas para obter proteção e sorte do seu Orixá. No Culto aos Egungun esse amuleto é chamado de Breve.

Existe um grupo étnico denominado Mandingas de origem africana, que tinham o costuma de carregavam no peito um cordão com um pedaço de couro com inscrições de trechos do alcorão eram em geral muçulmanos, os negros de outras etnias denominavam esse objeto de patuá.

Não podemos esquecer que esses componentes singelos, que resultam de um Patuá não têm valor espiritual, se não forem preparados por quem saiba ativar a energia e a capacidade protetiva destes objetos.


Patuá de Oxalá:

Oxalá dentro do contexto Yorubá representa o Sopro Divino é a primeira manifestação individualizada de Olorun que é a vida una, eterna, invisível, em absoluto onipresente; sem princípio e sem fim; inconsciente, porem com Consciência Absoluta; incompreensível, mas realidade existente por si mesma.

Para aquelas pessoas que em todos os campos da vida ela parece um campo de batalha, este é o patuá ideal. Traz serenidade nas relações matrimoniais, no trabalho e na vida em geral, pois Oxalá é o grande pacificador o grande Orixá Funfun.

Ou seja, dentro da cosmogonia Yorubá, ele esta na categoria mais elevada, onde encontramos as entidades que participaram da criação do universo, consideradas como ancestrais espirituais de tudo quanto possa ocorrer, nos dois planos de existência, conhecidas como Orixás Funfun ou em português aqueles “Orixás que vestem o Branco”.

Um Patuá bem bacana para todos aqueles que estão precisando de paz e tranquilidade e equilíbrio e foco nas questões da vida, também sendo indicado como um Patuá equilibrador do campo da fé.

Elementos:

  • 1 pedra de quartzo bruto pequena
  • 1 punhado de Alecrim do Campo
  • 1 punhado de Barba de velho
  • 1 colher de Cinzas de Palma Benta ou pó de Igreja

Costurar tudo em um saquinho de algodão natural, com fios brancos e consagrar ou pedir para uma entidade Cruzar ou tornar Bento este Patuá. Sugestão : peça a linha de Preto Velhos.

Após montado borrifar água benta ou água de chuva com essência de mirra ou benjoim.

Patuá de Exu

Patuá Ideal para Absorver energias negativas, para proteção de pessoas e residências contra feitiços, inveja, olho gordo e proteção.

Patuá que protege em especial quem viaja muito, ou necessita cruzar caminhos difíceis todo o tempo. Excelente proteção contra acidentes e roubos.

Exu é uma das figuras mais controversas do panteão africano, o orixá que mais se humanizou talvez , senhor do princípio e da transformação. Em algumas Nações de Camdonblé considerado o Deus da terra e do universo;, Exu é a ordem, segundo alguns mitos citados por Verger é aquele que se multiplica e se transforma na unidade elementar da existência humana. Exu é o ego de cada ser, o grande companheiro do homem no seu dia-a-dia.

É orixá que entende como ninguém o princípio da reciprocidade, e, se for agradado como se deve, saberá retribuir; quando agradecido pela sua retribuição, torna-se amigo e fiel escudeiro. No entanto, quando esquecido é o pior dos inimigos e volta-se contra o negligente, tirando-lhe a sorte, fechando-lhe os caminhos e trazendo catástrofes e dissabores.

Exu é a figura mais importante da cultura iorubá. Sem ele o mundo não faria sentido, pois só através de Exu é que se chega aos demais orixás e ao Deus Supremo Olodumaré. Exu fala toda as línguas e permite a comunicação entre o orum e o aiê, entre os orixás e os homens.

Exu é o dono do mercado, o seu guardião, por isso todo o comerciante e aqueles que lidam com venda e movimento de dinheiro devem agradar a Exu. Ou seja um Patuá de Exu cabe em varias ocasiões principalmente para que Exu seja de fato um protetor de seu negócio.

Elementos:

  • 1 pedra pequena de turmalina ou Ônix
  • 1 dente ou presa de origem animal
  • 3 olho de cabra (semente)
  • 1 pedaço de carvão comum pequeno
  • 3 folhas de comigo ninguém pode
  • 1 punhado de folha de Picão

Enrolar todos elementos dentro da folha de comigo ninguém pode com fio de algodão, fazendo uma pequena trouxa.

Costurar um saquinho de couro natural ou um saquinho de tecido natural nas cores preta, vermelho ou vermelho e preto, colocando a trouxinha dentro.

Após costurado no saquinho borrifar uma mistura de aguardente e pimenta do reino.

Pedir para uma Entidade consagrar e tornar este Patuá Bento. Sugestão: Peça a Linha de esquerda, Exu ou Pombagira.

Patuá para Amor na Força de Oxum

Oxum é a Deusa dos lagos, rios e cachoeiras. Assim como ela suas filhas são amorosas, românticas e muito apegadas à família e ao lar.

Este é um Patua recomendado para as mulheres que querem engravidar, ou tem problemas de saúde, alguma deficiência nos órgãos reprodutores, em enfim aquelas pessoas que cansaram de falsos amores ou sofrer no campo afetivo . Também indicado para aqueles que buscam a riqueza, pois Oxum é a senhora da fortuna. Protege a saúde das crianças em geral.

Oxum, considerada a grande protetora das águas doces, está fortemente relacionada à sensualidade, pois é considerada a deusa da beleza. Bastante vaidosa segundo alguns mitos adora ficar se admirando no espelho. Mesmo que às vezes tenha que usar da falsidade ou da esperteza, não mede esforços para conseguir o que deseja.

Elementos

  • 1 Rosa cor de rosa despetalada
  • 3 Pedacinhos de canela em pau
  • 1 Pitada de Jasmim
  • 1 Quartzo rosa pequeno
  • 7 Cravos
  • 1 Coração pequeno de brinco ou pingente em ouro, prata ou cristal
  • Saquinho de pano na cor Rosa ou Branco costurado com linha na cor rosa ou amarrado com fita rosa.

Borrifar essência de mel após costurado.
* As ervas e as pétalas devem ser secas

Pedir para uma entidade da linha de Baiano, Preto velho, ou Pomba Gira, cruzar esta patuá ou tornar bento.

Fonte: Afoshés e Pós de Encantamento.

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Você pode gostar...