Teologia para quê?

TeologiaTodo mundo é capaz de expressar a sua apreensão sobre Deus.

De acordo com o teólogo alemão Karl Rahner:

“Teologia é a explanação e explicação metodológica da revelação divina, recebida e apreendida na fé”.

Sendo assim, podemos afirmar que o estudo de uma teologia passa pela fé? É preciso ter fé na religião, ou em Deus, para estudar teologia?

Mas também nos chama a atenção, na definição do autor, a palavra “revelação”, que significa que se algo é revelado, é feito por meio do Sagrado (ou de Deus) que se revela ao ser humano, através da Palavra, dos Acontecimentos, das pessoas e, para algumas religiões, por um Deus que se manifesta por meio da Natureza também.

E ainda podemos contar com a definição do Dicionário Houaiss que apresenta revelação como o “ato pelo qual Deus faz saber aos homens os seus mistérios, sua vontade”.

Então é necessário ter fé para estudar teologia, pois a fé não existe sem uma revelação? Ou podemos dizer que a revelação é o próprio objeto da fé?

Para os mais céticos, ter fé é sinônimo de falta de conhecimento.

Há quem diga que a fé é uma aposta, pois não se tem certeza. E quando se tem certeza, deixa de ser fé, pois quem tem certeza não precisa acreditar naquilo que não se vê ou não se sente.

Quando se tem certeza, não é fé, é certeza. Para se ter fé, tem que se acreditar naquilo que você não tem certeza, pois você se lança e mergulha naquilo que não se vê.

O resultado disso é que aos poucos, aquilo em que se crê vai se comprovando e a fé se torna certeza. Quando isso vai se tornando parte de sua vida e de suas experiências.

“A fé não existe sem um ouvir, o que por sua vez, não se dá sem que se possa conhecer, experimentar e compreender” (Dicionário de Teologia)

Ou seja, compreender e conhecer não se sobrepõem a fé, mas são elementos de sua estrutura. Sendo assim, falar de religião é sempre um caminhar entre a fé e a razão. E isso independe da existência de Deus.

Disse o filósofo Luiz Pondé “Não é a fé que nos leva a conhecer Deus, mas é Ele que escolhe quem o irá conhecê-Lo”.

Então, podemos afirmar que a fé é o início do trabalho e do estudo teológico. Eis a importância de se estudar teologia, pois por meio deste estudo, a razão e a fé podem caminhar lado a lado.

A teologia não deve servir apenas para questões endógenas, mas também contribuir para a contextualização e comparação da religião com outras culturas. A teologia pode também ajudar a instituição de maneira que a auxilie na transmissão de sua doutrina para outras nações, pois a teologia é um estudo sistematizado e organizado. Estudar teologia é uma maneira consolidar a fé com bases racionais e científicas.

Talvez seja esse o motivo pelo qual temos visto cada vez mais cursos livres de teologia sendo divulgados entre as diversas religiões no país. Seria mais uma tentativa de justificar racionalmente a fé ou uma nova maneira de difundir dogmas com conceitos teológicos? Estaria a religião usando da ciência para argumentar e justificar a existência de Deus?

Na perspectiva do fiel, estudar teologia seria uma forma metódica e organizada de conhecer o Sagrado e assim trilhar sua jornada espiritual?

Religião é mais uma forma de autoajuda e sua escolha pode tornar a vida mais difícil, pela noção do pecado e da culpa embutida. Mas ela também pode tornar a vida mais fácil, pelas explicações plausíveis que nos dá diante do caos e das mazelas da vida.

Formada em Comunicação e Marketing (Universidade Mackenzie) e Mestre em Ciências da Religião (UMESP) com pesquisas em religiões orientais, especificamente religiões japonesas. Atua como professora de graduação e pós-graduação há 10 anos em cursos de Teologia, Pedagogia e Prática da Espiritualidade e conta com diversos artigos publicados em revistas científicas. Editora das revistas Saberes e Ação e dos Cadernos Teológicos.
Iniciou seus estudos com os oráculos em 1991 sendo formada pela Oficina Cultural Esotérica. Atende como Terapeuta Holística e Oraculista por meio do Tarot, Baralho Cigano (Lenormand), Kipper, Runas, Quiromancia, Numerologia, Florais de Saint Germain, Terapias Energéticas, Cristais e Ervas. É facilitadora espiritual aplicando também a Terapia com os Anjos, Vidas Passadas e Magia do Fogo.
Como professora tem formado diversos alunos nos cursos de Tarot e Baralho Cigano (Lenormand), presencial em vários espaços de São Paulo e em EAD (Online) no Núcleo Sapienza com alunos em diversos países.
Responsável pelo site Terapia com Oráculos, colunista no blog Perdido em Pensamentos e comentarista no Caminhos Podcast.

Ediléia Diniz

Formada em Comunicação e Marketing (Universidade Mackenzie) e Mestre em Ciências da Religião (UMESP) com pesquisas em religiões orientais, especificamente religiões japonesas. Atua como professora de graduação e pós-graduação há 10 anos em cursos de Teologia, Pedagogia e Prática da Espiritualidade e conta com diversos artigos publicados em revistas científicas. Editora das revistas Saberes e Ação e dos Cadernos Teológicos.
Iniciou seus estudos com os oráculos em 1991 sendo formada pela Oficina Cultural Esotérica. Atende como Terapeuta Holística e Oraculista por meio do Tarot, Baralho Cigano (Lenormand), Kipper, Runas, Quiromancia, Numerologia, Florais de Saint Germain, Terapias Energéticas, Cristais e Ervas. É facilitadora espiritual aplicando também a Terapia com os Anjos, Vidas Passadas e Magia do Fogo.
Como professora tem formado diversos alunos nos cursos de Tarot e Baralho Cigano (Lenormand), presencial em vários espaços de São Paulo e em EAD (Online) no Núcleo Sapienza com alunos em diversos países.
Responsável pelo site Terapia com Oráculos, colunista no blog Perdido em Pensamentos e comentarista no Caminhos Podcast.

Você pode gostar...