Egrégoras

O plano astral não é todo igual e nem o reflexo dele aqui no plano material, a gente se subdivide em gostos, tribos, classes, etc. No astral acontece o mesmo, porém por afinidade e por filiação, a isso damos o nome de Egrégora.

Seguindo a Wikipédia:


Egrégora, ou egrégoro para outros, (do grego egrêgorein, Velar, vigiar), é como se denomina a entidadecriada a partir do coletivo pertencente a uma assembleia, ou seja, é um campo de força criado no Plano Astral a partir da energia emitida por um grupo de pessoas através dos seus padrões mentais e emocionais.

Poderíamos até relacionar o inconsciente coletivo de Jung como uma egrégora master, pois querendo ou não, todas as aspirações, frustrações, desejos, e afins vão para lá.

Então ao filiar-se a um terreiro de umbanda você começará a fazer parte daquela egrégora. Mas vamos entender melhor isso. Um frequentador irá ser amparado pela coletividade do astral referente àquela egrégora como um neófito ou postulante. Com o passar do tempo e das iniciações que irão ocorrendo, passam a integrar o círculo mais interno da egrégora, e assim por diante. Então podemos dizer que um consulente faz parte da egrégora de Umbanda na parte externa e também da Egrégora do terreiro e quando passa pelo batismo, confirmação, consagração, coroação e etc. ele vai atingindo os graus mais internos.

Também podemos levar em consideração que dois terreiros diferentes pertencem à Egrégora Umbandista, porém cada terreiro tem sua egrégora individual, com um grupo de consciências e inteligências que atuam somente ali.

Um kardecista também pode estar incluído na egrégora espiritualista ou cristã, e assim por diante.

Todos somos partes de alguma egrégora, nem que seja uma egrégora de amigos com pensamentos comuns, clubes, classes escolares, e demais afiliações que fazemos na vida.

Então a egrégora é em si um agrupamento de ideias, energias e conceitos comuns a um grupo de pessoas.

É importante entender um pouco esse conceito de egrégora, e saber que ela em sua natureza não é boa ou ruim, ela apenas o É.

Esse conceito de egrégora, bem simplificado, já serve para entrar no próximo assunto que é: Como é o pós-vida nas diferentes religiões.

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Você pode gostar...

  • Alexandre Abreu

    Ótimo texto sobre Egrégora bem esclarecedor

  • J.Elias

    Uma Egrégora tem vontade própria?

    • Não, pois não é um ser senciente, mas ela é o resultado das muitas vontades que a ela são agregadas.

  • Andrea Fernandes

    Excelente 😉