Como um espírito acaba por se tornar meu guia?

Ilustrador Rodolfo C. Costa
Ilustrador: Rodolfo C. Costa

Esse artigo tem o objetivo de tentar expandir um pouco o conhecimento a respeito do que é um mentor espiritual e um guia de trabalho. Foi-me pedido no Facebook para falar melhor sobre os mentores, como eles se conectam conosco, seus motivos, suas funções e influências. Então, vou tentar explorar um pouco o tema. Antes de mais nada deixo aqui só um lembrete, é possível que as informações que aqui irei passar esbarrem em algumas crenças pessoais e outras vertentes filosóficas podem explicar de forma diferente. A minha recomendação é: Se servir para você, pegue isso. Se não servir, jogue fora. Mas acima de tudo respeite os diferentes pontos de vista.

Os mentores são – basicamente – espíritos mais evoluídos que nós, que tem por função direcionar e amparar nossa evolução enquanto encarnados nesse plano. Um mentor é definido para todo ser humano que vier a encarnar, seja em que orbe for. Esse espírito irá se ligar a você através dos laços da ancestralidade e/ou familiaridade. Um espírito familiar nem sempre é aquele que pertenceu a sua família, mas um espírito que teve existências pretéritas com você: um amigo, um professor, um tutor, um vizinho, etc. Além disso, podem ser também espíritos que se afinizam com suas ideias, vibrações e aspirações.

A função do mentor é muitas vezes confundida com a do guia-chefe, do anjo-da-guarda, entre outros nomes que se podem dar. O mentor raramente irá se manifestar mediunicamente. Quando ele tem que de alguma forma sensibilizar seu “afilhado”, ele irá inspirá-lo, irá intuí-lo, agirá no seu íntimo, e por vezes transmitirá mensagens através do sonho. É possível que ele incorpore ou mande uma psicografia? Sim, é possível, mas é raríssimo.

Falando assim parece que ele não está presente em nossas vidas, mas isso é apenas ilusão. Ele é presente o tempo todo e sua responsabilidade é imensa. Você sofre suas influências o tempo todo, é fácil perceber quando a gente tem aquela intuição de não ir por determinada rua e depois ficar sabendo que lá ocorreu um acidente.

A confusão feita com os guias que se manifestam, por vezes, acaba até atrapalhando o médium neófito. Veja bem, o mentor pode incorporar, mas raramente fará isso. Sua função é para com você e sua evolução. Já a função do guia-chefe, que também é um espírito ligado pelos laços da ancestralidade e/ou familiaridade, é de conduzir o seu mediunato, ou seja, as manifestações e a vivência mediúnica. Então um médium pode ter um mentor e um guia-chefe distinto, e esse guia-chefe será aquele que dará “passagem” ou permissão para os demais espíritos que compõe a coroa do médium (que são a equipe de espíritos que trabalham com aquele médium) a se manifestar e irá definir as regras do negócio.

Os guias-de-frente são os guias que mais se manifestam nos trabalhos, seu guia-chefe pode ser seu guia-de-frente, porém o guia-de-frente não necessariamente precisa ser seu guia-chefe.

Falando na língua da Umbanda, você pode ter um Caboclo Urubatão sendo seu Mentor, e um Caboclo Ventania sendo seu guia-chefe. Mas geralmente quem dá mais consulta é o Caboclo Flecha-Dourada. Conseguiram captar o que é cada um?

Os motivos desses espíritos trabalharem conosco não são tão claros, mas é de conhecimento que é uma proposta maior e que eles de alguma forma tem uma ligação conosco, seja de ancestralidade, familiaridade, simpatia ou ligação cármica. E essa ligação não precisa necessariamente ter se formado em uma vida encarnada, pode ter se dado no astral.

A função de todo espírito que se manifesta é prestar a caridade, conduzindo a pessoa que está sendo aconselhada a reforma íntima, a melhoria moral, a capacitação mediúnica (se necessário), a aprender que fazer caridade é muito mais que doar a matéria no terreiro, etc.

Agora quanto às influências, basta ouvir para entender. Ser médium (ou cavalo, na gíria de terreiro) é uma grande responsabilidade. É mais do que ir “chacoalhar” o corpo, tremer todo, gritar e grunhir. Isso é uma mediunidade em desequilíbrio. Os espíritos assumem trejeitos conforme seus arquétipos, porém isso não é necessário de fato; é feito mais pela forma como o ser humano necessita ainda de trabalhar o psicológico. E vamos sempre lembrar um espírito de LEI, jamais irá machucar ou judiar da matéria de seu médium.

Se ainda houver questões, deixem aí as perguntas, que tentarei respondê-las em uma sessão de Perdido em Perguntas, o mais objetivamente possível.

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Douglas Rainho

Terapeuta Natural (Naturopata) e futuro Acupunturista, Idealizador do blog Perdido em Pensamentos e pretenso escritor. Geminiano com ascendente em Leão e lua em Touro, acredita que toda forma de estudo é importante. Médium umbandista e eterno questionador, tem interesses em temas como: Espiritualidade, Espiritismo, Umbanda, Magia e Terapias Naturais. É apaixonado pela cidade de São Paulo, onde tudo é possível. Colecionador de livros, principalmente sobre Umbanda (quanto mais antigo melhor).

Você pode gostar...

  • Anonymous

    Douglas qdo temos visões tive duas ate o momento ja pode ser meu guia se mostrando Suzi.Obrigada

    • Suzi, pode ser que seja sim um espírito se mostrando pra sua visão espiritual porém não quer dizer que ele é seu guia. O guia é um espírito sábio, e para diminuir o medo do seu tutelado às vezes se mostra aqui, manda uma mensagem telepática ali, mostra-se em sonhos. Ele sempre tem o cuidado de não fazer com que o seu tutelado se assuste. Se você viu o mesmo guia, e dependendo de como foi a visão, por duas vezes, há uma grande chance de ser um acompanhante espiritual. Agora a questão é: que outras impressões você sentiu dele?

  • camila Rinaldi

    Douglas, sinto uma presença na minha casa diariamente, só estou lá a noite, e é quase todo dia, só em casa, pode ser meu guia tentando se manifestar? Não entendo muito, o que pode ser?

    • Camila,
      A gente tem que compreender o seguinte o mundo espiritual e material não estão desassociados, eles coexistem. Nem sempre um espírito que sentimos a presença quer dizer que é nosso guia ou que é o mesmo espírito. Para determinar se é o mesmo, tem que ver como sua sensibilidade está captando ele. Existem também alguns espíritos que vagam por aí, passando pelos locais, sem desejar o mal ou fazer qualquer malefício, ele só está passeando, por assim dizer. Essa presença pode tanto ser um guia, pode ser um mentor ou pode ser um protetor da própria casa já que você a sente sempre no mesmo local. As vezes os protetores se fazem notar para entendermos que não estamos sós e que existe toda uma história por trás dessa vida material.

  • Gislene

    Douglas, tenho sençasões com pessoas próximo de mim sensaçoes essa como se algo vai acontecer. As vezes fico inquieta daí vem a noticia que algo aconteceu,frequento centro espirita mas nunca participei das aulas doutrinaria espirita. Gostaria que explicasse um puco sobre isso,não vejo visões mas nos sonhos as vezes vejo pessoas que eram meus vizinhos que já desencarnaram.

    • Gislene, uma das mediunidades que todos possuímos é a intuitiva. Essa situação é um alerta de alguma forma, pelas vibrações negativas serem mais densas, acabamos por senti-las mais facilmente. Contudo é possível também sentir as positivas.

      O que eu recomendaria a você é realmente fazer as aulas doutrinárias no centro espírita que frequenta, nessas aulas será abordado mais sobre o mundo espiritual, vivência espiritual, mediunidade etc. Se houver aconselhamento ou atendimento na sua casa espírita procure ir também, além dos passes espíritas.

      Quanto a ver em sonho pessoas que já desencarnaram, isso é comum, pois ao dormir nossa alma se emancipa. A maior parte de nós fica ‘inconsciente’ porém a alma está liberta e desperta.

  • Wanderson

    Como descobrir quem é nosso Mentor, anjo da guarda, guia chefe?
    Como saber quem esta conosco,
    que caminho seguir e como como contactar tal luz cósmica ou este mundo exterior??????

    • O Mentor, verdadeiro, geralmente só depois do desencarne ou quando outra entidade o revela, porém é raro. Esse acaba passando muitas vezes anônimo durante toda a sua vida. A gente acaba sempre sabendo quem é o Guia-Chefe da Coroa (que muitas vezes acabamos confundindo e chamando de mentor) e o guia-de-frente, esses se manifestam mediúnicamente e transmitem o seu nome simbólico, seja pela psicografia, psicofonia ou incorporação.
      Para se conectar com esses seres de luz você tem que seguir um caminho regrado, de caridade e instrução. Eles falam conosco o tempo todo, porém nem sempre estamos dispostos a ouvi-los.

  • Ricardo

    E como e feita a conversaçao entre o Medio e seu Mentor?

    • Essa “conversação” é intuitiva, ou seja, não se trocam frases ou palavras, mas impressões, sensações e algumas imagens que surgem aleatoriamente na nossa mente.

  • parabens éla criação da pagina…eu mesma recebo uma cigana q orienta pessoas sem eu nunca ter ido em nenhum centro é puro everdaeira missao…ate gostaria de pedrir orientaçoes …para mim pois fico incosciente,muitas pessoas procuram ela.eu mesma nao entendo muito grata.

    • O médium inconsciente é o que mais deve procurar instrução, para que o espírito comunicante tenha um arcabouço maior de conhecimento para trabalhar. Você pode aprender através da vasta literatura, mas eu aconselho começar sempre pelo Livro dos Espíritos, Livro dos Médiuns e o Evangelho Segundo o Espiritismo. Apesar de muitos acharem que isso só vale para espíritas, eu discordo, acredito que todos podem se beneficiar da informação contida nesses tomos.

  • Anônimo

    Amei os esclarecimentos! Parabéns!

  • Pingback: Cabeça do Médium e Orixás de Cabeça » Perdido em Pensamentos()

  • Super Suporte

    q maneiro!

  • OTAVIO CHAGAS ABREU

    Olá Douglas, parabéns pelo texto. Tenho uma dúvida. Por favor, poderia responder? Os guias de coroa, guias chefes e guias de frente, são necessariamente da mesma linha de trAbalho de meus orixás de frente e adjunto? Tenho outra pergunta. Hehhe. Meu chefe de coroa, ou guia chefe, ou ate algum guia de frente pode ser o mesmo que de meu pai carnal? Obrigado

    • Douglas Rainho

      Olá Otávio, vou responder sim.

      Os guias de coroa, chefes e de frente não necessariamente devem possuir a mesma ordem da sua coroa. Você sendo, supondo, filho de Oxalá, pode ter um guia chefe de Coroa que seja de Xangô, sem problemas. Isso vale para todas as entidades.

      Você pode incorporar um guia de uma outra pessoa? Até pode, mas por que fariam isso? Agora chefe de coroa não. É um espírito designado só para você nessa vida.

      Recomendo o Perdido em Perguntas#13 que tem minha resposta mais completa sobre isso: https://youtu.be/a_YDfuzdAfw

      Aproveito para pedir permissão sua para levar essas perguntas para o programa do youtube.

  • maria cecilia

    É mais do que ir “chacoalhar” o corpo, tremer todo, gritar e grunhir. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • maria cecilia

    É mais do que ir “chacoalhar” o corpo, tremer todo, gritar e grunhir. kkkkkkkkkkkkkkkkkk